Próteses ortopédicas feitas com nióbio no Brasil é um sucesso

Nióbio tecnologia Brasil produção economia

Já estão sendo produzidos novos modelos com liga de nióbio que promete revolucionar a indústria de próteses com uma material mais leve e versátil

A CBMM (Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração) especialista em produtos a base de nióbio e que recentemente iniciou estudos na área do grafeno, anunciou na terça-feira(26) que as primeiras próteses ortopédicas feitas com este metal que vem sendo produzidas desde de fevereiro em impressoras 3D tiveram bons resultados. Já estão em estudo novos modelos com liga de nióbio-titânio e titânio-nióbio-zircônio, pensados para a total comodidade do paciente.

Veja também

“Esta inovação foi criada pelo IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, em parceria com a CBMM e AACDOs resultados impressionam quanto à leveza, custo, resistência e maleabilidade, já que são peças impressas em 3D, feitas sob medida para cada paciente,” disse  a CBMM em nota oficial.

Os primeiros resultados do projeto foram apresentados em um congresso internacional sobre ciência e tecnologia de materiais, nos EUA.

“Professores e pesquisadores comentaram que estão buscando alternativas para troca da liga titânio-alumínio-vanádio por outros materiais. Eles não querem usar mais esta liga por conta das implicações no corpo humano; fomos os únicos no congresso a apresentar um estudo sobre a liga nióbio-titânio,” contou o professor Daniel Leal Bayerlein em fevereiro deste ano.

O projeto tem previsão de finalização no primeiro semestre de 2020.

Logo abaixo, é possível conferir um vídeo-slide de demonstração das próteses: 

Mas o que é Nióbio?

Segundo o site Oficina da Net,o nióbio foi Descoberto em 1801 pelo inglês Charles Hatchett e é o mais leve dos metais refratários, é utilizado principalmente em ligas ferrosas (tão poderoso que é utilizado na escala de 100 gramas para cada tonelada de ferro), criando aços bastante resistentes que são utilizadas em tubos de gasodutos, motores de aeroplanos, propulsão de foguetes e em outros chamados supercondutores, além de soldagem, indústria nuclear, eletrônica, lentes ópticas, tomógrafos, etc. Com 99% das reservas do mundo e mais de 90% da comercialização mundial, o Brasil explora muito pouco, perto da capacidade disponível.

O QUE É GRAFENO?

O grafeno, que é o material mais fino do mundo, tem um átomo de espessura e foi o primeiro material bidimensional descoberto. O grafeno (retirado do grafite)existe como uma estrutura hexagonal em favo de mel composta de seis segmentos de átomos de carbono e foi cientificamente provado que possui propriedades incríveis. Por mais de 100 anos este material foi sonhado, mas apenas em 2004 foi uma camada de grafeno separada do Graphite simplesmente usando fita adesiva.

Os dois pesquisadores Sir Andre Geim e Sir Kostantin Novoselov, que trabalharam na Universidade de Manchester, ganharam o Prêmio Nobel em 2010 por essa descoberta. Desde então, o grafeno é visto como um dos novos materiais mais promissores para aplicações comerciais. Bilhões de dólares foram investidos em pesquisa e milhares de cientistas estão descobrindo as incríveis maravilhas que podem ser criadas. As aplicações atuais de grafeno incluem baterias de longa duração, revestimentos antifricção, materiais mais duráveis, filtros de água, revestimentos anti-corrosivos e chips de computador mais rápidos. O futuro tem muito mais na loja com idéias como eletrônica flexível, tintas e tintas eletrônicas, pele robótica e até mesmo elevadores espaciais.

O canal Fatos Desconhecidos produziu um vídeo interessante sobre o grafeno, confiram:

Paulo Nogueira

About Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.