Início Projeto ‘Litro de Luz’ utiliza materiais recicláveis e energia solar para levar iluminação às comunidades mais isoladas do Brasil

Projeto ‘Litro de Luz’ utiliza materiais recicláveis e energia solar para levar iluminação às comunidades mais isoladas do Brasil

26 de fevereiro de 2022 às 18:21
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Litro de luz - garrafas pet - materiais recicláveis - energia solar -
Litro de Luz está presente em 21 países. Foto: Divulgação/Litro de Luz

O projeto Litro de Luz, iniciativa que tem como objetivo levar eletricidade através da energia solar e materiais recicláveis, está beneficiando diversas comunidades

Após cerca de 50 anos vivendo sem energia elétrica, a residência de Abilio Lopes, indígena que reside na comunidade São Tomé, situada à margem do Rio Negro, recebeu iluminação com o uso de materiais recicláveis como uma garrafa PET. O indígena é um dos 23 mil brasileiros que já foram atendidos pelo projeto Litro de Luz, que tem como objetivo utilizar materiais comuns do nosso dia a dia e combiná-los com energia solar, para levar energia a comunidades mais isoladas do país.

Leia outras notícias relacionadas

Cerca de 2 milhões de brasileiros não possuem acesso à energia elétrica

Litro de Luz Amazônia 2021 – Reprodução/Youtube

Conforme noticiado no Portal Terra, Abilio Lopes diz que o seu dia terminava às 19h, quando ficava mais escuro. À noite, a única luz que havia em sua casa era a lamparina à querosene, que deixava a casa impregnada de fumaça. Lopez afirma que agora pode tecer as redes de pesca à noite e pescar durante todo o dia. No Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas não possuem acesso à eletricidade e 6 milhões nem mesmo contam com iluminação pública.

A falta ou precariedade dessa infraestrutura essencial que, para algumas comunidades mais afastadas, é ofertada por lamparinas de velas ou querosene, dificulta o trabalho, estudo e também atividades básicas. Sem contar o risco de incêndio e problemas de saúde gerados pela fumaça. O projeto Litro de Luz é parte de um programa que surgiu em 2011 nas Filipinas, conhecido como global Liter of Light, mas que recebeu inspiração de uma técnica criada pelo mecânico brasileiro Alfredo Moser, ainda em 2002.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

O mecânico foi responsável por instalar materiais recicláveis no telhado com água e alvejante. Através da energia solar, a garrafa pet gerava uma iluminação que equivale a uma lâmpada de 60 watts. O intuito era fazer com que pessoas economizassem energia. Das Filipinas, o projeto passou a se espalhar por diversos países. Ao total, são 25 países, incluindo o Brasil.

Como funciona a geração de energia solar com materiais recicláveis?

Presente no Brasil desde 2014, o Litro de Luz já beneficiou mais de 10 mil pessoas com soluções sustentáveis que geram energia solar fotovoltaica – Imagem: Divulgação

O projeto Litro de Luz criou um sistema de iluminação barato, que utiliza materiais recicláveis como garrafa PET, canos de PVC e placas para iluminar as residências utilizando energia solar.

Os postes de PVC sustentam as placas de energia solar e lâmpadas, tendo em vista que não há ligação com a rede elétrica. A energia solar que é captada pelo painel faz com que uma lâmpada de LED instalada dentro de uma garrafa funcione. Em um ambiente externo, o sistema funciona à noite e se desliga automaticamente pela manhã. Dentro de casa, as lâmpadas possuem uma autonomia de 5 horas.

600 lâmpadas de LED são construídas no Médio Juruá

Os moradores das comunidades aprendem a realizar a manutenção e replicação do sistema de tecnologia social facilmente. O maior dos projetos com materiais recicláveis beneficiou centros ribeirinhos do Médio Juruá, onde foram instaladas cerca de 600 lâmpadas de PET.

O local conta com 565 famílias e os voluntários do projeto viajaram por duas horas, saindo da capital amazonense e mais outras 30 horas de barco para chegar até lá. A comunidade interessada no projeto Litro de Luz pode realizar um pré-cadastro acessando formulários com informações simples.

Cerca de 20 dias ou menos após o cadastro, o setor de desenvolvimento social entrará em contato. Vale lembrar que a execução depende de empresas parceiras para arcar com os custos básicos.

Relacionados
Mais recentes