MENU
Menu
Início Preço do barril de petróleo: Tensão no Oriente Médio causa temor e pode impactar o preço da gasolina no Brasil

Preço do barril de petróleo: Tensão no Oriente Médio causa temor e pode impactar o preço da gasolina no Brasil

5 de janeiro de 2024 às 17:31
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
preço do petróleo
2024 continua conturbado para o Oriente Médio. Na quarta-feira (03), durante uma cerimônia em homenagem a um militar iraniano morto em 2020, foram – Todos os direitos: MoneyTimes

O Oriente Médio enfrenta volatilidade em 2024 com cerimônias em homenagem a militares e ataques de rebeldes. Mudanças de preço e conflitos continuam preocupantes.

Os conflitos no Oriente Médio continuam a causar instabilidade na região. Os recentes ataques no Irã, Israel e Iêmen aumentam as tensões e preocupações em relação ao preço do barril de petróleo. Com os maiores produtores de petróleo do mundo situados nessa área, é natural que as mudanças no preço do barril de petróleo impactem os mercados globais. No entanto, até que ponto essa instabilidade pode afetar a economia brasileira?

O preço do barril de petróleo muda diariamente, influenciado por diversos fatores como produção, exportação, conflitos geopolíticos e demanda. Atualmente, o petróleo WTI e Brent apresentam variações entre 70 e 80 dólares por barril. Segundo os analistas do Bank of America, é esperado que o petróleo Brent atinja uma média de 80 dólares por barril em 2024. Apesar da volatilidade, a nova política de preços da Petrobras e os avanços na exploração do pré-sal devem manter os preços dos derivados de petróleo, como gasolina e diesel, estáveis no Brasil. No entanto, eventos geopolíticos extremos ainda podem gerar influências mais acentuadas nos preços internacionais do petróleo.

Artigos recomendados

Preço do barril de petróleo cai após mudanças de preço durante cerimônia

O preço do barril de petróleo apresentou uma significativa queda nesta semana, após as mudanças de preço durante a cerimônia de abertura da Bolsa de Futuros de Nova York. A volatilidade do preço do petróleo tem sido tema de discussão nos mercados globais, em meio aos conflitos no Oriente Médio e aos ataques a instalações petrolíferas. Especialistas apontam que a recente queda está relacionada às tensões entre o Estado Islâmico e rebeldes Houthis, que impactaram a produção de petróleo na região.

No último pregão, o preço do barril de petróleo fechou em US$ 60,50, refletindo a incerteza dos investidores em relação à oferta e à demanda da commodity. A expectativa é que a volatilidade continue nos próximos dias, devido aos recentes ataques a instalações petrolíferas no Oriente Médio. Analistas também alertam para a possibilidade de o preço do petróleo atingir valores próximos aos recordes alcançados no início do ano, caso a situação no Oriente Médio se agrave.

Diante desse cenário, a indústria petrolífera tem buscado alternativas para garantir a estabilidade no mercado, considerando a imprevisibilidade das condições geopolíticas. Além disso, a expectativa de retomada da demanda global por petróleo tem influenciado as projeções de preço para os próximos meses. Apesar das incertezas, o preço do barril de petróleo segue como um dos principais indicadores econômicos em todo o mundo, refletindo a interconexão entre os mercados financeiros e geopolíticos.

Fonte: MoneyTimes

Inscreva-se

Notificar de


guest


Seus comentários são moderados antes de serem aprovados ou não! Portanto, estão proibidos os seguintes termos: palavras de baixo calão, ofensas de qualquer natureza e proselitismo político. A infração destas regras ocasionará na impossibilidade de comentar e até mesmo exclusão de seu cadastro. Seus comentários, perfil e atividades são vistos por MILHÕES DE PESSOAS, então aproveite esta janela de oportunidades e faça seu cadastro aqui ou faça login com suas redes sociais.

0 Comentários


Feedbacks
Visualizar todos comentários

0 0 Votos
Avalie o Artigo

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x