Nova usina será construída pela Camil, para gerar energia elétrica a partir da casca do arroz

Roberta Souza
por
-
01-12-2021 16:47:49
em Energia Renovável
energia, renovável, biomassa, Camil fonte: reprodução

A Camil Alimentos S.A, empresa brasileira do ramo alimentício, vai construir uma termoelétrica movida a biomassa de casca de arroz

A previsão é de que a nova sede entre em funcionamento a partir de 2023. A Camil construirá a usina termelétrica com R$ 150 milhões arrecadados em sua primeira emissão de títulos de créditos representativos (debêntures). “A casca do arroz tem alto poder calorífico e regularidade térmica próprios para a produção de processos termelétricos, sendo uma alternativa mais sustentável frente a combustíveis fósseis”, afirmou a empresa.

Veja ainda:

A companhia alimentícia já investe em geração própria de energia, tendo essa representado 43% da energia consumida pela empresa no último ano.

A geração da energia renovável de biomassa é realizada através do volume de cascas oriundo do processamento industrial, visto que a Camil é especializada no beneficiamento de arroz e feijão.

No Brasil, 95% da energia consumida nas sedes da Camil Alimentos é proveniente de fontes renováveis. Com a nova termelétrica em funcionamento, a empresa aumentará seu poder de geração própria de energia limpa, contribuindo para a não poluição do meio ambiente.

“Manter-se em dia com as melhores práticas de mercado por meio de soluções inovadoras para ampliar fontes de energia limpa e gerar maior eficiência energética na América Latina está entre os temas mais relevantes para a gestão ambiental da Camil”, diz o comunicado oficial da indústria ao mercado, publicado em 30 de novembro de 2021.

Sobre a Camil Alimentos S.A.

Fundada em 1963 por Jairo Santos Quartiero, a Camil Alimentos S.A é uma indústria do setor alimentício, especializada na produção de arroz e feijão, sendo líder do setor no país e na América do Sul.

Ao longo dos anos, a empresa vem investindo em geração própria de energia renovável, possuindo duas pequenas centrais termelétricas, localizadas em Itaqui e Capão do Leão (RS). Com o objetivo de aumentar cada vez mais o poder de geração própria, a Camil registrou incremento anual de 7% até fevereiro de 2021.

Com a nova usina de biomassa em operação, a expectativa é de que esse número cresça gradativamente.

Além da produção e comercialização de grãos, a Camil apresenta também portfólio diversificado de marcas nos setores de açúcar e pescados, bem como posições de liderança no Brasil, Uruguai, Chile e Peru.

Publicidade




Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos