Michelin e General Motors lançam pneu sem ar e que não fura; nova tecnologia vai revolucionar a indústria automotiva no mundo

Flavia Marinho
por
-
01-11-2021 12:54:15
em Automotivo, Veículos Elétricos
michelin - pneus - general motors - ford - produção Pneu sem ar, que não fura e não explode Michelin e General Motors




As gigantes da indústria automotiva, Michelin e General Motors, desenvolveram um pneu sem ar que não fura. A tecnologia elimina explosões além de reduzir o uso de matérias-primas e resíduos, contribuindo para um mundo com zero acidentes, zero emissões e zero congestionamento.

O desenvolvimento foi longo e levou mais de dez anos para os gigantes fabricantes de veículos e pneus para indústria automotiva, General Motors e Michelin, encontrarem a solução definitiva. Mas o projeto parece estar à frente da curva e a venda do tão esperado Uptis – o pneu do futuro, sem ar e que não fura, pode acontecer dentro de um ano.

Leia também

A ideia por trás do Uptis (Unique Puncture-Proof Tyre System) é que a roda suporta o peso do carro através de raios flexíveis feitos de uma mistura de fibra de vidro e borracha, materiais que fornecem a flexibilidade e rigidez necessárias para rolar, em vez de usar o ar pressurizado como elemento interno.

Assista o vídeo abaixo e conheça o novo pneu sem ar que não fura desenvolvido pela Michelin e a General Motors

As vantagens não são poucas, uma vez que os pneus Uptis eliminam o risco de perfuração, estouro ou danos irremediavelmente danificados, e também não exigem revisão periódica das pressões de inflação.

A tecnologia sem ar faz com que o Protótipo Uptis elimine furos e explosões. Isso significa que a Uptis oferece um potencial significativo para reduzir o uso de matérias-primas e resíduos, contribuindo para a visão da GM para um mundo com zero acidentes, zero emissões e zero congestionamento.

E Michelin diz que eles também serão mais duráveis do que pneus clássicos e mais verdes em seu ciclo de uso. Estima-se que 200 milhões de pneus sofrem danos em sua estrutura a cada ano (ou desgaste prematuro em sua banda de rodagem) e devem ser desfeitos.

Outro argumento a favor da Uptis são as vantagens para os gestores de frotas de veículos, que verão seus custos de manutenção consideravelmente reduzidos.

Até agora, essa tecnologia sem ar só tinha sido aplicada em veículos muito especiais, como rovers de exploração espacial. No entanto, eles poderiam em breve substituir os pneus convencionais em larga escala, mas ainda não se sabe qual o preço que eles terão no mercado.

Já antes de sua aparição, o Michelin Uptis, que já registrou mais de 50 patentes próprias, foi reconhecido com importantes prêmios de inovação na Europa e na América, como o Prêmio Roda de Roda De Ouro 2019 (Alemanha) e o Avt Aces Award 2020 (EUA).

Ainda este ano, a GM iniciará testes e validação do Protótipo Uptis em uma frota de testes de Michigan de EVs Chevrolet Bolt.

“A General Motors está entusiasmada com as possibilidades que a Uptis apresenta, e estamos entusiasmados em colaborar com a Michelin nesta tecnologia inovadora”, disse Steve Kiefer, vice-presidente sênior de Compras e Supply Chain da General Motors. “A UPTIS é um ajuste ideal para impulsionar a indústria automotiva no futuro e um grande exemplo de como nossos clientes se beneficiam quando colaboramos e inovamos com nossos parceiros fornecedores.”

Mais informações sobre o Protótipo MICHELIN Uptis podem ser encontradas aqui.

Após a Ford anunciar o fim da Troller no Brasil, americanos descobrem que a multinacional fabricante de veículos preparava Troller com motor Ranger Raptor e câmbio de Mustang

Após a saída da Ford enquanto fabricante de veículos instalada no Brasil, a multinacional que decidiu seguir por aqui apenas como importadora a partir de 2021, deixou o nosso Troller T4 com um fim inglório, já que tanto a marca quanto o jipe, que são de origem brasileira, devem ser extintos.

A informação veio à tona no fórum Mustang7G, formado por fãs do muscle car. Um dos tópicos mais comentados da página nos últimos dias repercute um perfil no LinkedIn, de um engenheiro brasileiro que trabalha em projetos globais da multinacional Ford, encontrada por um dos membros do fórum. Se interessou pelo assunto? Clique aqui para ler a matéria completa!

Ford já tinha adaptação do jipe brasileiro ao trem de força 2.0 biturbo diesel automático de 10 marchas em estágio avançado quando decidiu matá-lo

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.