Estaleiro Brasfels ganha mais um contrato da Modec e construção naval do RJ ganha sobrevida

Paulo Nogueira
por
-
15-07-2020 05:57:07
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Brasfels Modec Construção Naval FPSO estaleiro KEPPEL Keppel OM EM SINGAPURA, FONTE KEPPEL

A Keppel Offshore & Marine (Keppel O&M), por meio de suas subsidiárias em Cingapura e no Brasil, garantiu dois contratos no valor combinado de cerca de S$ 73 milhões ($ 52,4Mn) da MODEC.

A Keppel Shipyard foi contratada para fabricar, completar e integrar os módulos de topside e a estrutura de suporte de ancoragem para Unidade flutuante de armazenamento e transferência (FPSO) pela Modec para projetos no Brasil. Como todos sabem, a sua representante subsidiária é o estaleiro Brasfels, localizado em Angra dos Reis, RJ. Isso significa um reforço adicional em obras de construção naval do RJ, gerando ou mantendo empregos no setor.

Keppel disse nesta quarta-feira (15) que os componentes para os módulos e a estrutura estão programados para chegar no 3º trimestre de 2020 para conclusão, bem como integração e instalação com o casco do FPSO, que é esperado no estaleiro no 4º trimestre.

Com previsão de entrega para o 2º trimestre de 2021, o FPSO estará equipado para processar 90.000 barris de petróleo e 75 milhões de pés cúbicos padrão de gás por dia e com uma capacidade de armazenamento de 700.000 barris de petróleo.

No Brasil, o estaleiro BrasFELS da Keppel O&M recebeu um contrato de fabricação de módulo topside para um FPSO para o campo de Búzios na Bacia de Santos, na costa do Rio de Janeiro, Brasil. Construção naval

As obras no FPSO, com o nome de FPSO Almirante Barroso MV32, devem começar no 3ª trimestre de 2020 no estaleiro BrasFELS em Angra dos Reis, com entrega prevista para o 4ª trimestre 2021.

Isso marca o sétimo projeto relacionado ao FPSO realizado pela BrasFELS para o MODEC.

Quando concluída, a embarcação será capaz de processar 150.000 barris de petróleo e 212 milhões de pés cúbicos padrão de gás por dia, com uma capacidade de armazenamento mínima de 1,4 milhão de barris de petróleo.

Anthony Quinn, presidente e diretor de operações da MODEC Offshore Production Systems (Cingapura), disse: “Embora os baixos preços do petróleo em meio a uma pandemia global marquem um momento difícil para a indústria, estamos confiantes de que há uma demanda contínua de energia a longo prazo. a economia global se prepara para a recuperação ”.

Fonte e Tradução Livre: Keppel

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.