Estados da região Sudeste entram na briga para sediar a nova usina nuclear, anunciada pelo ministro do MME

Roberta Souza
por
-
09-11-2021 19:36:41
em Usina e Agronegócio
usina - nuclear - MME Usina nuclear/ Fonte: O Globo

O ministro do MME divulgou que já iniciaram os estudos que buscam um local para a construção da nova usina nuclear

Durante participação na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 (COP 26), na Escócia, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou que está em busca de um local para a construção de uma nova usina nuclear no país. O ministro do MME ressalta que os novos projetos do setor terão a participação da iniciativa privada. Leia ainda esta notícia: Eletronuclear projeta investir R$ 6 bilhões na usina nuclear Angra 3, até 2023

A construção da nova usina nuclear no Brasil

A construção da usina deve ser indicada no Plano Decenal de Energia (PDE) de 2031, documento que serve de base para o planejamento do setor. Com duas usinas (Angra 1 e 2, em Angra dos Reis-RJ), a matriz responde hoje por menos de 3% de toda a energia gerada no país. O governo diz que está estudando onde será construída a nova usina nuclear.

“Já pensando mais para frente, estamos trabalhando no PDE 2031, a ser apresentado no início do próximo ano, que além da conclusão de Angra 3, em 2026/2027, estará prevista a implantação de uma nova usina nuclear no Brasil. Para isso, o MME, a EPE e a Cepel, já deram início aos estudos complementares para localização de novos sítios nucleares no Brasil”, disse o ministro do MME.

Governo prepara nova nuclear, mas ainda não retomou obras de Angra 3

A construção da usina nuclear Angra 3 parou depois de denúncias de corrupção e por conta da deterioração do cenário fiscal. Agora, o governo busca parceiros e uma forma de fazer com que a obra seja retomada e a usina entre em operação entre 2026 e 2027. 

O parque termonuclear brasileiro, na cidade de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, conta com duas usinas em funcionamento: Angra 1 opera há 36 anos e possui 640 megawatts (MW) de potência. Angra 2 foi inaugurada em 2001, com 1,35 gigawatts (GW). Já Angra 3, quando estiver pronta, terá 1,4 GW. O volume de energia produzido pelas duas plantas nucleares em operação é responsável por cerca de 2% da matriz elétrica nacional.

Recentemente, o governo federal fechou com estatal russa para a construção e manutenção de usinas nucleares

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras responsável por operar as usinas nucleares brasileiras, e a empresa russa Rosatom assinaram um memorando de entendimentos para construção e manutenção de usinas nucleares de grande e pequena potência no Brasil. O acordo foi fechado durante a Conferência Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que ocorre em Viena, na Áustria. 

O acordo entre as empresas, válido por três anos, aborda temas como construção de usinas nucleares no Brasil, projetos para desenvolvimento de reatores terrestres e flutuantes e gestão de resíduos. O acordo de cooperação inclui outras possibilidades, como técnicas de construção e ciclo do combustível. O documento também abre espaço para participação da Rosatom na sondagem de mercado do modelo econômico.

Presidente da Eletronuclear, Leonan dos Santos Guimarães destacou a importância do acordo para a empresa e o desenvolvimento das usinas nucleares no Brasil. O executivo diz que para a Eletronuclear, esse instrumento de cooperação mútua assinado com a Rosatom, representa uma excelente oportunidade na expansão futura dos negócios, e em especial, no atendimento à necessidade de crescimento da geração núcleoelétrica em nosso país.

Publicidade




Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos