Equinor planeja implantar novo parque de energia eólica offshore no Espirito Santo

Valdemar Medeiros
por
-
13-10-2020 10:40:33
em Energia Renovável
energia eólica - Equinor - ES Parque de energia eólica offshore

Empresa norueguesa (Equinor) quer instalar parque de energia eólica offshore no litoral do Espírito Santo

A petroleira norueguesa Equinor (antiga Statoil) quer ampliar suas atividades no Espírito Santo. A empresa, que já possui blocos de exploração de petróleo no Estado, pretende usar o mar capixaba também para gerar energia limpa, a partir de ventos, na região de Itapemirim, no litoral Sul.

Leia também

Equinor com mais um projeto de energia eólica offshore contemplando o Brasil

A Equinor está licenciando um parque eólico offshore (no mar) no Estado e outro no norte do Rio de Janeiro, com capacidade de 2 gigawatts (GW) cada, totalizando 4 GW, segundo informações publicadas pelo jornal “O Estado de S. Paulo” neste sábado (10). Trata-se do maior projeto de energia eólica já apresentado a órgãos ambientais no país e também a primeira iniciativa dessa fonte energética da empresa no Brasil, sendo que ela possui operações similares na Europa desde 2017.

Para se ter ideia do tamanho do empreendimento da Equinor, a energia gerada pelas turbinas (aerogeradores) nos dois parques seria suficiente para abastecer todas as residências do Espírito Santo e ainda sobrar. Em todo o ano passado, a energia gerada a partir de ventos teve cerca de 6 GW instalados no país.

O Brasil, porém, ainda não possui nenhum projeto eólico em alto mar. Segundo o Estadão, os projetos entregues ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) foram batizados de Aracatu I, que ficará na costa do Rio de Janeiro, com a energia levada por cabos para Campos do Goytacazes; e Aracatu II, que levará energia para Itapemirim.

Conclusão do novo parque de energia eólica offshore está programada para acontecer até o ano de  2024  

A previsão da empresa no estudo é concluir os projetos até 2024. De acordo com o formulário entregue pela companhia às autoridades ambientais, o complexo eólico offshore será composto por 320 geradores (160 em cada parque) a cerca de 20 quilômetros da costa, em águas entre 15 e 35 metros de profundidade.

A Equinor afirma no documento ainda que poderá expandir a potência de cada parque para 2,33 GW e que as características da região permitem usinas eólicas de até 14 MW.  

Ainda sem uma estimativa de um valor, a Equinor deve aplicar muitos milhões do seu orçamento no Brasil nos próximos anos no mega projeto no Espirito santo. Devido ao tamanho do empreendimento, a recém-empossada presidente interina da empresa no Brasil, Letícia Andrade, afirmou ao jornal que o licenciamento ambiental pode levar de um a três anos.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.
fwefwefwefwefwe