Início Empresa da Coreia do Sul Innospace vai lançar seu foguete no Brasil, na base de Alcântara, em parceria inédita

Empresa da Coreia do Sul Innospace vai lançar seu foguete no Brasil, na base de Alcântara, em parceria inédita

18 de junho de 2022 às 00:59
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Brasil foguete Brasil Coreia do Sul empresa Alcântara Lançamento
Centro de Lançamento de Alcântara possui ótima infraestrutura para testes de foguete | Foto: Inoospace

Innospace testa o lançamento do seu novo foguete no Centro de Lançamento de Alcântara, devido à ótima infraestrutura

O Brasil é um país com muitas potencialidades, dentre as quais, o Centro de lançamento de Alcântara, localizado no estado do Maranhão, que atraiu os olhares da empresa da Coreia do Sul, a Innospace. Devido à ampla infraestrutura, a empresa privada sul-coreana escolheu a base brasileira para testar o lançamento do seu primeiro foguete em desenvolvimento.

A afirmação dessa parceria partiu do presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Moura, nessa sexta (17). A Innospace já é conhecida por buscar maior acessibilidade de preços para satélites em diversos locais do planeta e agora quer expandir o mercado com seu novo foguete. O teste está marcado para dezembro e vai fazer história. Tenha mais detalhes na matéria de hoje.

Artigos recomendados

Fique por dentro de como funciona a Base de Lançamento de Alcântara com o vídeo abaixo

Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, é um destaque nacional de infraestrutura para foguete | Reprodução — YouTube: TV Brasil

Brasil tem interesse em lançamento de pequenos satélites, tornando a parceria muito vantajosa para ambos os países

Você pode se perguntar: porque a agência da Coreia do Sul virá fazer o lançamento no Brasil? Porque nosso país tem interesse em realizar futuros lançamentos de pequenos satélites, o que é uma especialidade da Innospace. Sendo assim, o Brasil buscou uma parceria para que a empresa faça os testes do seu foguete na base de Alcântara, permitindo uma economia de combustível para que ele chegue em órbita mais rapidamente, por estar próximo à linha do Equador.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Ou seja, o oferecimento da base de Alcântara para lançamento é uma estratégia para abrir novas negociações de pequenos satélites. É a primeira vez que uma empresa privada aeroespacial vai realizar um lançamento como esse em uma base totalmente administrada pela Força Aérea Brasileira (FAB), após retirada da Hyperion, uma empresa dos Estados Unidos, das negociações.

Outras grandes empresas como Lauch Systemns, Orion e Virgin Orbit também conseguiram licença para lançamento de foguete na base de Alcântara

A sul-coreana Innospace é apenas mais uma das muitas empresas mundiais que estão fechando acordos para usar a base de lançamento de Alcântara em disparos de foguete. A empresa do Canadá, a C6 Lauch Systems já tem autorização para operar em nosso território e prevê um lançamento para 2023.

Além disso, a Virgin Orbit, dos Estados Unidos, também recebeu licença para atuar no Brasil e vai usar a base de Alcântara para decolar o Boeing 747, testar foguetes e satélites de órbita baixa. Por outro lado, a Orion AST, dos Estados Unidos, também tinha objetivo de usar a base, mas não obteve progresso em suas pesquisas de coleta de lixo espacial, que seria o foco da empresa.

Afinal, quem é a Innospace?

A Innospace é uma start-up famosa na Coreia de Sul por buscar inovações em lançamentos de baixa órbita. A empresa tem como foco a sustentabilidade e execução de atividades aeroespaciais de baixo custo. É uma das empresas pioneiras em buscar propulsão híbrida para foguetes e satélites pequenos com licença de operador Espacial junto à AEB para promover os lançamentos em Alcântara.

O presidente da AEB, Carlos Moura ainda destaca a importância dessa parceria com a Start-up sul-coreana para o avanço do Brasil.

O Espaçoporto de Alcântara possui condições para abrigar diversas atividades relacionadas à atividade espacial, que vão além da colocação de satélites em órbita da Terra. Nesse caso, temos a situação exemplar em que serão testados tanto um veículo como um sistema inercial, ambos em desenvolvimento. Temos certeza que essa iniciativa do DCTA e da INNOSPACE inaugurará um capítulo novo em nossa história de acesso ao espaço”

Carlos Moura, Presidente da AEB (2022)

Relacionados
Mais recentes