Início Ceará entra no radar da EDP, um dos maiores players globais de energia, para receber novos investimentos de fontes renováveis e gerar milhares de empregos

Ceará entra no radar da EDP, um dos maiores players globais de energia, para receber novos investimentos de fontes renováveis e gerar milhares de empregos

6 de junho de 2022 às 12:52
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Empregos - EDP - Ceará - hidrogênio verde - investimentos - energias renováveis - energia renovável
Painel solar sendo instalado em novo empreendimento – imagem: Blue Sol Energia Solar

A EDP está mirando no Ceará para a aplicação de novos investimentos no setor de energia renovável, principalmente em hidrogênio verde. A ideia da empresa é gerar milhares de empregos e diversificar a matriz energética brasileira.

O Ceará planeja expandir sua relação com a EDP, de Portugal, um dos maiores players globais de energia, podendo trazer mais investimentos ao estado, gerando mais empregos e renda à população. O titular da Sedet, Maia Junior, em sua missão em Portugal, se reuniu com os diretores André Pina, Ana Kelia, Carlos Malta, Paul Kessler e Gustavo Pizarro. É importante destacar que a EDP possui uma termelétrica a carvão no Ceará desde 2012 e tem planos de realizar investimentos de Hidrogênio Verde e Energia Renovável no Estado.

EDP anuncia investimentos de R$ 41,9 milhões em energia renovável no Ceará

De acordo com Maia Junior, sua visita de cortesia à EDP trata sobre o relacionamento da empresa portuguesa com o estado do Ceará para contribuir com que ele seja maior e melhor em energia renovável. O empreendimento da EDP está instalado no Complexo do Pecém e possui capacidade total de 720 megawatts.

Artigos recomendados

Em setembro do último ano, a EDP anunciou, ao lado do governador do Ceará, Camilo Santana, a instalação de um projeto piloto para construir a primeira usina de hidrogênio verde da América Latina no Pecém, que além de gerar energia renovável e novos empregos, teria capacidade de produção de 250 Nm3/h do gás.

A expectativa é de que a usina entre em operação já em dezembro deste ano, atraindo investimentos de R$ 41,9 milhões para a geração de energia renovável. Indo mais além, a empresa planeja também expandir sua participação no país em energias sustentáveis. Seu braço de sustentabilidade, a EDP Renováveis, busca desenvolver entre 1 mil MW e 1,2 mil MW no país até o ano de 2025, e o Ceará entra no radar de outros possíveis investimentos.

Residentes no Ceará ganharão cursos para a formação de mão de obra

Devido aos investimentos em energia renovável como os da EDP no Ceará, a indústria lançou no último mês o Centro de Excelência de Transição Energética, para tornar a mão de obra capacitada para empregos nas diversas demandas do setor de energia do Ceará nos próximos anos.

O projeto é uma parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-CE), a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), o Serviço Social da Indústria e quatro empresas que atuam no setor: Enel, Maersk Trainning, Aeris Energy e Agência de Cooperação Alemã (GIZ).

No espaço construído na unidade do Senai da Barra do Ceará, as empresas poderão atuar de forma integrada à capacitação dos profissionais. De acordo com Paulo André Holanda, diretor regional do Senai e Superintendente do Sesi-CE, a demanda pelos cursos pode vir tanto por parte das empresas parceiras quanto pela sociedade de modo geral.

EDP anuncia novos compromissos da transição energética e fará investimentos bilionários no país

A EDP anunciou na última quinta-feira (2) sua nova identidade visual, ligada ao posicionamento da empresa no setor de energia e também ao seu papel na sociedade. Esta imagem reflete a transformação da EDP nos últimos anos, para uma empresa mais inclusiva, global e com foco na sustentabilidade, responsabilidade social e inovação.

Com o compromisso assumido pela transição energética, a empresa fará investimentos de 24 bilhões de euros até 2025, gerando milhares de novos empregos.

De acordo com o CEO do Grupo EDP, Miguel Stilwell D’Andrade, as crises humanitárias e energéticas agravaram a desigualdade social e a economia. Sendo assim, são necessários mais investimentos em energias renováveis.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes