A West Mira operada pela Seadrill será primeira plataforma de perfuração híbrida do mundo

 

A alemã Siemens fornecerá uma solução de armazenamento de energia baseada em baterias para o semi-submersível West Mira e a transformará na primeira plataforma de perfuração marítima híbrida do mundo.

A Siemens informou que o BlueVault, a avançada solução à base de bateria de íons de lítio da empresa, será instalada na plataforma de perfuração offshore de Northern Mira do Northern Drilling, localizada a aproximadamente 120 quilômetros a noroeste de Bergen, no Mar do Norte. O West Mira, um semi-submersível de águas ultraprofundas de sexta geração projetado pela Moss Maritime e se tornará a primeira sonda de perfuração moderna do mundo a operar como um híbrido com uma usina diesel-elétrica usando ESS (Lithium-ion Energy Storage Solution).

A solução consiste em quatro sistemas de bateria de conversor para uma potência máxima total de seis megawatts.

Bjørn Einar Brath, chefe de soluções offshore na Siemens, disse: “A integração do armazenamento de energia com o sistema de fornecimento e distribuição de energia de uma plataforma de perfuração representa um passo importante para melhorar a sustentabilidade ambiental da indústria offshore de petróleo e gás.

“Plataformas offshore têm consumo de energia altamente variável para perfuração e posicionamento dinâmico. Ao incorporar o armazenamento de energia, é possível reduzir o tempo de operação dos motores a diesel e mantê-los operando em um nível de combustão otimizado. Isso acaba levando a emissões menores ”.

Segundo a Siemens, a instalação do BlueVault no West Mira resultará em uma redução estimada de 42% no tempo de operação dos motores diesel na plataforma, reduzindo as emissões de CO-2 em 15% e as emissões de NOx em 12% – equivalente às emissões anuais aproximadamente 10.000 automóveis.

As baterias serão carregadas dos geradores diesel-elétricos da sonda e usadas para fornecer energia durante os horários de pico de carga. Eles também servirão como backup para evitar situações de blackout e fornecer energia aos propulsores no improvável evento de perda de todo o maquinário em funcionamento.

O ESS que será fornecido ao West Mira é baseado em uma tecnologia previamente instalada em mais de 60 navios em todo o mundo, incluindo o primeiro ferry elétrico MF Ampere do mundo, na Noruega.

“Esperamos que esse mercado cresça significativamente e, consequentemente, tenha investido pesado no desenvolvimento de soluções ESS seguras e confiáveis, estabelecendo uma instalação de produção para módulos de bateria em Trondheim, na Noruega. A instalação terá um papel importante em ajudar a Siemens a atender à demanda global por operações de perfuração mais eficientes, com o objetivo final de reduzir a pegada de carbono da indústria offshore ”, acrescentou Brath.

Em notícias relacionadas, a Siemens ganhou um contrato na semana passada para atualizar a embarcação AKOFS Seafarer com uma solução de bateria, tornando-se a primeira atualização desse tipo para uma embarcação de intervenção de poços.

Novo negócio de perfuração

A Seadrill irá operar o West Mira durante as operações de perfuração nos seis poços de campo de Nova. Wintershall contratou a sonda para trabalhar na Nova em junho de 2018. O contrato inclui opções para um início antecipado no terceiro trimestre de 2019, bem como opções subsequentes.

Se todas as opções forem exercidas, espera-se que o West Mira seja contratado pela Wintershall até o primeiro trimestre de 2022.

A Siemens acrescentou que trabalhará em estreita colaboração com a Seadrill nos próximos meses para garantir que a solução de energia híbrida atenda aos requisitos de desempenho e confiabilidade da sonda.


Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.