Renovável – Estado do Rio Grande do Sul receberá novo parque de energia eólica de R$ 1,09 bilhão

Roberta Souza
por
-
15-10-2021 17:30:21
em Energia Eólica, Energia Renovável
Energia eólica – parque – Rio Grande do Sul Parque eólico/ Fonte: G1-Globo

O novo parque de energia eólica terá uma capacidade para gerar 239 MW de energia e tem previsão de início das obras em 2022.

A cidade de Tapes, no estado do Rio Grande do Sul, terá um parque eólico com capacidade para gerar 239 MW de energia e previsão de início das obras em 2022. O projeto é da empresa Brain Energy, com investimento de R$ 1,09 bilhão. O anúncio da novidade foi trazido na edição da última terça-feira (12), do Jornal do Comércio. Leia ainda esta notícia: Primeira torre de energia eólica offshore no Ceará será construída próxima ao Complexo do Pecém

Detalhes sobre o novo parque de energia eólica

O novo parque de energia eólica deve ser instalado na localidade de Capão Alto e contará com 69 aerogeradores de 114 metros de altura cada. O planejamento já conta com todas as licenças necessárias, incluindo a ambiental, e está em fase final de modelagem financeira. Os aerogeradores serão colocados em uma área de 3 mil hectares, entre a BR-116 e a área urbana de Tapes, sendo cortada pela ERS-717.

O projeto do novo parque de energia eólica no estado do Rio Grande do Sul, vem sendo desenvolvido há mais de cinco anos e passou por alguns entraves. Este será o primeiro complexo eólico da região Costa Doce. No Rio Grande do Sul, há aerogeradores no Litoral Norte (em Osório, Palmares do Sul, Xangri-lá e Tramandaí), na Região Metropolitana (Viamão), no Litoral Sul (Rio Grande, Santa Vitória do Palmar e Chuí) e na Fronteira Oeste (em Santana do Livramento).

Futuros investimentos no parque

O parque de energia eólica receberá o nome de Capão Alto e deve começar a produção comercial a partir de 2024. Segundo a empresa, a energia produzida deverá ser vendida no comércio livre para a iniciativa privada. Além disso, futuros investimentos são estimados em R$ 1,5 bilhão, para uma segunda etapa com a ampliação do complexo e aumento da produção de energia em mais 350 MW.

Confira ainda esta notícia: Governo Federal irá regulamentar exploração de energia eólica offshore, até o fim do ano

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, garantiu na quarta-feira, 6 de outubro, que até o fim deste ano o Governo Federal irá regulamentar a exploração de energia eólica offshore. Hoje, ainda não há regras definidas sobre a entrada dessa fonte na matriz, embora órgãos ambientais como o Ibama já venham se movimentando em prol de avanços e tem projetos em análise.

O estado do Ceará é um dos principais interessados nessa regulamentação do Governo Federal. Dos quase 40 GW de capacidade de produção no país das energias eólicas offshore, quase um terço são projetos a serem desenvolvidos na costa cearense. Os empreendimentos Caucaia e Asa Branca, ambos no litoral cearense, têm os processos de avaliação mais antigos, respectivamente de 2016 e 2017.

Somente o Ceará, com base nos dados do Atlas Eólico e Solar, possui um potencial de produção de 117,2 GW, o que supera os 2,8 GW de potência instalada que atende o estado. O Brasil conta com 5 mil GW de potencial. O ministro ainda destacou, que o país não deve ter o retorno do horário de verão, medida apontada como solução para redução do consumo de energia. Ainda segundo o ministro, o Governo garante “total governança” sobre a crise hídrica e que não teremos apagões.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe