Menu
Início Prejuízo das lojas Americanas ainda é incalculável e trabalhador brasileiro pode ter que pagar a conta

Prejuízo das lojas Americanas ainda é incalculável e trabalhador brasileiro pode ter que pagar a conta

30 de janeiro de 2023 às 18:13
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Prejuízo das lojas Americanas ainda é incalculável e trabalhador brasileiro pode ter que pagar a conta
Foto: Neofeed/Reprodução

A Lojas Americanas conta com prejuízo enorme, e o consumidor brasileiro pode ser o último a escapar do rombo. A empresa entrou com pedido de recuperação judicial. Entenda mais sobre o caso.

Após um rombo de R$ 20 bilhões em seu balanço do último ano e de anos anteriores, a Lojas Americanas anunciou recentemente que entrou em recuperação judicial. Com uma dívida de aproximadamente R$ 43 bilhões, há uma lista com cerca de 16,3 mil credores. Aqueles que terão prioridade para receber a quantia serão bancos, consumidores ou trabalhadores. Esta fila possui uma ordem e há um caminho a ser percorrido até chegar no momento certo do pagamento. 

Entenda como acontecerá o pagamento do prejuízo da Americanas

Análise: Quem são os culpados pelo rombo da Americanas? | CNN ARENA

Ao entrar em recuperação judicial, a empresa blinda seu caixa de cobranças realizadas por credores por 6 meses, um prazo que pode ser prorrogado. É justamente neste período que deve começar a negociar com todos aqueles a quem está devendo pagamentos para montar o plano de recuperação, que deve ser aprovado em assembleia de credores, estes que estão separados por categorias e possuem uma ordem de prioridade de pagamento de dívidas.

Artigos recomendados

No topo da lista estão aqueles que trabalham na empresa. Desta forma, estes serão os primeiros a receber. Logo depois, estão os credores que possuem dívidas com garantia junto à companhia. Em seguida, sai o pagamento dos créditos fiscais e, por fim, vem aqueles que não contam com qualquer preferência sobre os outros grupos de credores.

Desta forma, os consumidores estão no fim da fila, ainda que possuam seus direitos de ressarcimento preservados. Também estão entre os últimos os fornecedores varejistas, a depender de quanto tempo levará até a aprovação do plano de recuperação, que na avaliação de especialistas pode ser de dois anos.

Rombo bilionário

No último dia 11 de janeiro, o anúncio de uma inconsistência contábil de 20 bilhões envolvendo operações de risco sacado da Lojas Americanas desencadeou uma crise de grande proporções na varejista, gerando batalhas no campo jurídico e recuperação judicial com bancos credores.

Em linhas gerais, este é um processo de antecipação de recebíveis pela modalidade de cessão de crédito. Por meio de uma triangulação de operações, a empresa inclui um banco na operação, de forma que a instituição financeira antecipe esse pagamento ao fornecedor desta companhia com um deságio. É uma operação bastante comum para o funcionamento do setor varejista.

Desta forma, quando uma empresa possui uma demanda financeira, ou uma dívida a ser paga, pode fazer um acordo com o banco, obtendo o dinheiro para pagar seu fornecedor através de uma instituição financeira. A partir daí, a empresa deve pagar a quantia emprestada posteriormente, com juros que variam conforme o prazo de término do investimento.

Por que o prejuízo não foi notado antes?

As empresas contabilizam a dívida de formas diferentes. Algumas contabilizam suas operações ao lado de fornecedores, mas nas notas explicadas fazem a separação e mencionam o que é o risco sacado. Outras mudam de linha do balanço e há também aquelas que lançam como dívida bancária.

Segundo especialistas, em um cenário mais recente, de juros mais baixos, foi possível ocultar o prejuízo da Americanas, fazendo com que a diferença entre fluxo e lucro de caixa não fosse tão marcante.

No momento em que foi possível notar um aumento significativo nas taxas de juros, somado a um período mais complicado para o setor, com desaceleração no comércio eletrônico, foi possível ver a inconsistência, que pode ter ficado mais evidente para aqueles que possuíam valores mais diretos e quantias maiores, somado ainda à mudança de gestão.

Fonte: UOL Notícias


Você quer receber apenas notícias e vagas de emprego do seu interesse? A solução chegou através do app CPG VAGAS E NOTÍCIAS! Se você é pintor, vai receber no seu celular apenas oportunidades neste cargo. E será assim com pedreiro, técnico, engenheiro e etc..... Não perca nada do que acontece no mercado de trabalho e econômico do Brasil, baixe agora o app CPG VAGAS E NOTÍCIAS, disponível para Android e IOS!

APP CPG VAGAS E NOTÍCIAS

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
BANNER POPUP CPG VAGAS E NOTICIAS 2 Fechar