Para preservar reservatórios de usinas hidrelétricas, Governo aprova acionar termoelétricas e importar energia da Argentina e Uruguai

Flavia Marinho
por
-
20-10-2020 12:44:02
em Energia Renovável
usinas hidrelétricas - termoelétricas - energia Argentina Geração de energia em usinas termoelétricas é mais cara e aumenta os custos para o consumidor; altas temperaturas e retomada da economia devem elevar consumo.

Geração de energia em usinas termoelétricas é mais cara e aumenta os custos para o consumidor; altas temperaturas e retomada da economia devem elevar consumo.

Para preservar os reservatórios de água das usinas hidrelétricas no Brasil, o governo federal autorizou o acionamento de termoelétricas e a importação de energia dos países vizinhos, a Argentina e o Uruguai. O Morro da Babilônia, na Zona Sul do Rio, vai receber a primeira usina de energia solar em uma favela no Brasil

Leia também

O governo federal tem preocupação com os reservatórios da região Sul do Brasil, onde o nível dos principais reservatórios das usinas hidrelétricas se encontra com menos de 30% da capacidade, bem mais baixo se comparado ao mesmo período de 2019, quando marcava 39,5%.

Para economizar a água armazenada nas cabeceiras dos rios Grande e Paranaíba e também manter a hidrovia Tietê-Paraná navegável, com mais volume de água para as embarcações, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico decidiu liberar o acionamento de um número maior de usinas termoelétricas.

O governo também informou que está importando energia da Argentina e do Uruguai. Isso vem sendo feito quando a importação fica mais barata que a energia das usinas termoelétricas.

Essas medidas do Governo visam reduzir o uso das usinas hidrelétricas do Sul, para que elas possam chegar ao final de outubro com mais de 30% de capacidade de armazenamento.

Em contrapartida, as usinas termoelétricas trabalham a partir de combustíveis como diesel, uma energia mais cara e que aumenta os custos para o consumidor.

Na indústria, o consumo de energia durante a pandemia, que ficou levemente abaixo do consumo de 2019, começou a registrar um aumento em agosto. Mas não há risco de desabastecimento, de acordo com a associação dos grandes consumidores.

,

Expectativa

No fim deste mês, o volume de água nos reservatórios na região Sul pode atingir menos de 20% da capacidade. A situação deve ser melhor nos Sudeste e Centro-Oeste (23,2%), no Nordeste (52,4%) e no Norte (32,5).

“A aplicação dessas medidas, será reavaliada semanalmente, em reuniões técnicas, visando verificar a necessidade da continuidade de sua adoção, bem como avaliar a adoção de ações adicionais”, acrescentou o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), em comunicado.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.