Início Novas tecnologias de fontes renováveis conta com gerador de 23 metros que produz energia eólica durante 24h

Novas tecnologias de fontes renováveis conta com gerador de 23 metros que produz energia eólica durante 24h

14 de fevereiro de 2022 às 10:20
Compartilhe
Siga-nos no Google News
energia, energia eólica, renováveis
Foto: Reprodução Google Imagens (via Windcraft – Engenharia de Parques Eólicos)

Além de energia eólica, outras inovações em fontes renováveis foram expostas durante Show Rural Coopavel 2022

Nunca se investiu e consumiu tanta energia de fontes renováveis, como a energia eólica, como atualmente. No último ano, o aumento dos valores nas contas de energia passou de 30% no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o que incentiva ainda mais a discussão acerca de fontes renováveis.

Leia também:

No Show Rural Coopavel 2022, as inovações em energias renováveis se destacam entre expositores, como o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), por meio do projeto RenovaPR, que estimula a geração distribuída (GD) de energia a partir de fontes renováveis em unidades rurais paranaenses. No total, foram 150 m² destinados à exposição de energia eólica e de outras fontes renováveis, como solar, biogás e biometano.

O RenovaPR, parceria entre o IDR e a Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), dispõe de meios que podem diminuir em até 95% as despesas com energia. Até o momento, mais de 1.600 projetos foram atendidos pelo IDR Paraná, com montante de R$ 275,3 milhões. Ao todo, o programa conta com 431 companhias cadastradas em propostas de energia solar e 15 em biogás/biometano.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Fontes renováveis em destaque

Segundo o texto original de Dirk Lopes para o Canal Rural, um dos destaques no espaço do Show Rural é o produtor de energia eólica Hotek, tecnologia totalmente paranaense que deve ocupar o mercado de equipamentos de porte médio. O Gerador Eólico Hotek possui 23 m de altura e tem capacidade de produzir 24h por dia, podendo ser usado no meio rural ou urbano. Além disso, o gerador de energia eólica utiliza duto aerodinâmico, e não pás.

Outro equipamento que merece destaque é o gerador elétrico, que começa a produção de energia eólica com menos de 1 m/s de vento, performance ótima em relação a produtos que já estão no mercado, que iniciam a partir de 3,5 m/s de vento. Ele funciona tanto conectado à rede de energia de GD quanto off-line, tendo capacidade de sustentar conjuntos de baterias que permitem independência energética a um empreendimento.

O gerador de energia eólica Hotek está instalado no ambiente do RenovaPR para a etapa de experiências e medições de produção de energia para a testagem em campo e certificação final do produto. Depois do processo, a empresa responsável e o equipamento serão cadastrados no RenovaPR e utilizados como opção aos produtores e agroindústrias.

Iluminação noturna

Para além das energias renováveis, o Show Rural também apresenta, através do Grupo Fienile junto ao Parque Tecnológico de Itaipu, a Tecnologia Irriluce: iluminação artificial para a lavoura, que já está presente em diversos estados, como MG, BA, SC e RS. Vilmar Steffanello, produtor de trigo que utiliza há mais de um ano a tecnologia Irriluce, afirma que teve mais de 50% de crescimento da produção na última safra.

Pela primeira vez em Santa Catarina, houve uma segunda safra de lúpulo no mesmo ano, devido à suplementação luminosa na lavoura. O estudo está sendo feito por Hyan de Cásio Pierezan, mestrando assistido pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

A inovação usa módulos de led justapostos ao pivô, para potencializar a luz e complementar o processo fotossintetizante das plantas ao longo da noite, o que gera incontáveis benefícios.

Gustavo Grossi, CEO do Grupo Fienile destaca que esta é uma excelente forma de divulgar o trabalho da companhia. Devido aos resultados atingidos pela tecnologia, ele explica que o trabalho não corresponde apenas à luz, e que sem nutrição de solo, recuperação de estruturas, manejo ligado a tecnologias de remineralização, a inovação não é funcional. “Não é somente investir na Tecnologia Irriluce […] É preciso estar disposto a contribuir com a pesquisa, receber pesquisadores na sua propriedade para avaliar o desenvolvimento do projeto pelo menos nos três primeiros anos”, afirma ele.

O diretor de Pesquisas do Grupo Fienile, Ernane Lemes, discute sobre os resultados obtidos até o momento: “A Suplementação Luminosa é um coroamento de um trabalho em conjunto, que começa com uma consultoria com cada produtor para entender o que a área dele apresenta de possíveis fatores limitantes e o que é possível melhorar em termos de manejo, estrutura do solo, química do solo, nutrição para a planta. Não adiantaria posicionar a luz se a planta não tiver condições de extrair nutrientes, extrair água para se desenvolver”.

A presença do Grupo Fienile é indispensável para corrigir percepções errôneas quanto ao projeto. “A importância de estarmos no evento é posicionarmos uma ideia correta do projeto e atender aqueles participantes, aqueles produtores que têm interesse na tecnologia, para fazer além da comercialização e venda do projeto, o posicionamento do projeto que vai além da luz, mas que coroa com a implementação da suplementação luminosa”, finaliza Ernane.

Relacionados
Mais recentes