Novas férias coletivas são anunciadas pela Renault em sua fábrica em São José dos Pinhais, no estado do Paraná

Roberta Souza
por
-
31-07-2021 18:22:39
em Economia, Negócios e Política
Fábrica – férias coletivas – Renault Fábrica da Renault/ Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba

A partir do dia 2 de agosto, a fábrica da Renault em São José dos Pinais, no estado do Paraná, terá novas férias coletivas anunciadas aos funcionários

A Renault confirmou que está paralisando suas fábricas no Brasil mais uma vez. A empresa está, como as demais montadoras do setor, sofrendo com a falta de semicondutores, que são tão importantes para a produção dos veículos. Essa não é a primeira vez que a Renault se vê obrigada a interromper sua produção no complexo de São José dos Pinhais, no estado do Paraná. Veja ainda: Novas férias coletivas são anunciadas pela Volkswagen em sua fábrica em Taubaté, no estado de São Paulo

A paralização da produção por falta de semicondutores

O comunicado foi divulgado via e-mail para parte dos funcionários na quinta-feira, dia 29, e começa a valer na próxima segunda-feira, dia 2, conforme adiantou o site da revista Quatro Rodas. O tempo de paralisação varia dependendo do departamento de cada colaborador. Na fábrica chamada Curitiba Veículos de Passeio (CVP), que produz Captur, Duster, Kwid, Logan, Sandero e Stepway, a parada será por 10 dias, com retorno previsto para o dia 12/8. Já na unidade Curitiba Veículos Utilitários (CVU), que fabrica o furgão Master, a duração será de apenas cinco dias.

Consultada, a Renault divulgou o seguinte comunicado a Automotive Business: “A Renault do Brasil informa, que em função da falta de componentes eletrônicos, haverá férias coletivas nas fábricas do Complexo Industrial Ayrton Senna, no período de 02 a 06/08 para a fábrica de veículos comerciais leves e de 02 a 11/08 para a fábrica de veículos de passeio. Além disso, nos dias 29 e 30/07 não haverá produção na fábrica de veículos de passeio. A produção referente a estes dois dias será compensada em datas futuras a serem definidas pela empresa.”

Outras fábricas estão sofrendo com a falta de componentes eletrônicos

A falta de componentes eletrônicos já afetou oito montadoras e 14 fábricas no Brasil, como mostrou um acompanhamento regular da consultoria Auto Forecast Solutions (AFS), dos Estados Unidos. Isso já levou a reduções ou paralisações das linhas de 41 modelos, com perdas somadas de 220 até o fim de julho. Somando todas as paradas ou cadência reduzida, a AFS estima perda equivalente a 270 dias de operações.

Entre os fabricantes mais afetados pela escassez de microchips está a GM: a fábrica de São Caetano do Sul – onde são produzidos Tracker, Joy, Joy Plus e Spin – vai ficar parada por dois meses, enquanto a unidade Gravataí (RS) – onde é montado o Onix – está paralisada desde março, com previsão de retorno só no dia 16 de agosto, após um período de cinco meses e meio de suspensão.

Confira também: Renault vai construir mega fábrica e criar um novo centro de produção capaz de montar 400.000 carros elétricos e híbridos por ano

Mega projeto ambicioso do chefão da Renault, Luca de Meo, simboliza a maior mudança da história automotiva: a eletrificação. O super projeto da nova fábrica deve ser anunciado pela multinacional francesa esta semana e a montadora apresentará a ElectriCity, um projeto que reúne em uma única subsidiária seus três locais em Douai, Maubeuge e Ruitz para torná-lo um vasto centro de produção de veículos elétricos, na França.

A causa para a construção da nova fábrica é ouvida: o futuro do automóvel é elétrico. Mês após mês, os números de vendas de veículos novos estão forçando uma revisão das previsões de longo prazo. Em maio, na França, os veículos híbridos representaram 26% das vendas de carros novos, com 36.221 registros, contra 22% para veículos a diesel. O primeiro carro a sair de Douai será o novo Megane-E elétrico, cujas linhas de montagem estão sendo implantadas. Neste modelo, restam as esperanças da Renault de voltar à batalha do segmento C, intermediário e valorizado no mercado europeu.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe