MENU
Menu
Início Nippon Steel, Mitsubishi Corporation e ExxonMobil se unem para estudar projetos voltados para a captura e armazenagem de carbono

Nippon Steel, Mitsubishi Corporation e ExxonMobil se unem para estudar projetos voltados para a captura e armazenagem de carbono

31/01/2023 às 22:18
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
As companhias Nippon, Mitsubishi e ExxonMobil avaliam projeto de CCS (captura e armazenagem de carbono) nas regiões da Ásia-Pacífico.
Foto: Pixabay

As companhias Nippon, Mitsubishi e ExxonMobil avaliam projeto de CCS (captura e armazenagem de carbono) nas regiões da Ásia-Pacífico.

A Nippon Steel, empresa japonesa de aço presidida por Eiji Hashimoto, assinou nesta quarta-feira, dia 25, um Memorando de Entendimento (MoU) com a Mitsubishi Corporation, encabeçada por Katsuya Nakanishi, e a ExxonMobil, liderada por Irtiza Sayyed, o potencial para estudar possibilidades de investimentos uma cadeia de valor para projetos de captura e armazenamento de carbono (CCS, na sigla em inglês) nas regiões da Ásia-Pacífico.

Com foco em uma sociedade neutra em carbono, a Nippon, a Mitsubishi e a ExxonMobil avaliam o desenvolvimento do projeto

Conforme Memorando, as três companhias pretendem pesquisar a aplicação do CCS nas siderúrgicas da Nippon, além disso, propõem avaliar o desenvolvimento da infraestrutura necessária para tal projeto.

Artigos recomendados

O acordo inclui uma análise detalhada das oportunidades de armazenamento na Ásia-Pacífico, incluindo também a Malásia, Indonésia e Austrália.

A Mitsubishi Corporation pretende estudar o transporte internacional de CO2 e o desenvolvimento da cadeia de valor para a CCS. Será o primeiro estudo voltado ao assunto desenvolvido em território japonês, onde o objetivo é armazenar o gás de efeito estufa no exterior.

Já a Nippon apontou o CCS como uma das principais tecnologias do seu pano de neutralidade de carbono até 2050, colocando como uma forma de gestão de médio a longo prazo das emissões. O projeto foi anunciado esta semana e já começa a caminhar em direção ao futuro.

A companhia japonesa irá avaliar a segurança de locais de armazenamento offshore de CO2 gerado por usinas siderúrgicas, infraestrutura, necessidade de políticas e regulamentação, além de adequação de custo do projeto.

A Mitsubishi Corporation identificou a Transformação de Energia (EX) como uma iniciativa importante em seu roteiro para uma sociedade neutra em carbono.

CCS na petroquímica

A ExxonMobil também está apostando na captura e armazenamento de carbono ao redor do mundo. Na Europa, a companhia se uniu a outras três empresas produtoras de óleo e gás em uma cooperação para CCS offshore em larga escala no projeto L10.

As petroleiras têm como objetivo compartilhar a infraestrutura existente e ter um planejamento pronto até o final do ano, armazenando assim, até cinco milhões de toneladas de CO2 em campos na costa holandesa.

As petroleiras planejam compartilhar a infraestrutura existente e ter um projeto pronto até o final do ano para armazenar até cinco milhões de toneladas de gases de efeito estufa em campos na costa holandesa.

Já nos Estados Unidos, a ExxonMobil fechou o maior acordo comercial de CCS em outubro do ano passado com a CF Industries, fabricante de produtos de hidrogênio e nitrogênio. O projeto, agendado para entrar em ação no ano de 2025, vai capturar e armazenar permanentemente até 2 milhões de toneladas de CO2 por ano na Luisiana.

Ainda nos EUA, a companhia está firmando acordos na Houston CCS Aliance, uma iniciativa de empresas de energia e petroquímicas voltada para a promoção da tecnologia na área industrial de Houston.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR