Líder brasileiro, Minas Gerais atinge a marca de maior potência de energia solar em geração distribuída

Roberta Souza
por
-
23-04-2021 14:43:29
em Energia Renovável
energia solar – geração distribuída – Minas Gerais Painéis de energia solar e bandeira de Minas Gerais/ Fonte: Reprodução

Dados da Absolar mostram que o estado de Minas Gerais ultrapassou a marca de 900 MW de potência de energia solar em geração distribuída

De acordo com um levantamento divulgado pela Associação Brasileira de Energia Solar e Fotovoltaica – Absolar, o estado de Minas Gerais possui 938,1 megawatts instalados de potência de energia solar na geração distribuída. O estado possui 80.160 sistemas operando em 841 cidades, atendendo, aproximadamente, 110.520 consumidores. Com tal marca, Minas Gerais lidera o ranking dos estados com energia solar distribuída no Brasil. Painéis de energia solar transparentes podem aumentar a vida útil das placas fotovoltaicas.

Minas Gerais torna-se líder na geração distribuída de energia solar

A cidade de Uberlândia, localizada no triângulo mineiro, é um dos destaques da pesquisa, ocupando o primeiro lugar na geração distribuída de energia solar do estado, operando 53,5 MW e respondendo por 1,1% da produção nacional total do modelo.

Somente o território do estado de Minas Gerais responde por 18,1% de energia solar em geração distribuída no Brasil, com 81.684 ligações operacionais espalhadas em 841 cidades, respondendo por aproximadamente 98,6% das 853 cidades do estado. São cerca de 112.545 consumidores de energia solar, que reduziram suas contas de energia elétrica e têm maior autonomia e segurança energética.

Bruno Catta Preta, coordenador nacional da ABSOLAR em Minas Gerais, disse que o estado de Minas Gerais é, hoje, um importante polo de desenvolvimento de energia solar na geração distribuída. Bruno ainda disse que a tecnologia do uso de energia solar traz desenvolvimento sustentável para os moradores do estado de Minas Gerais, tendo um grande potencial para o desenvolvimento econômico e social, além de criar oportunidades de emprego e renda, atraindo investimento privado e cooperando no combate às mudanças climáticas.

Segundo a Absolar, estabelecer um marco legal para a geração distribuída de energia no Brasil é a melhor forma de evitar o risco de retorno de recursos solares e outros renováveis ​​para a geração distribuída de energia em telhados, paredes externas e pequenos terrenos no país. Atualmente, a Assembleia Nacional está passando um projeto de lei para debater o marco legal, e o projeto é apresentado pelo deputado federal Lafayette de Andrada.

Portanto, o apoio de uma sociedade organizada e de empresas locais é fundamental para o estabelecimento de um marco jurídico transparente, justo e que reconheça os benefícios da energia solar na geração distribuída de energia no país.

O presidente da Absolar diz que a energia solar cada vez mais terá um papel importante na abordagem estratégica para atingir as metas de desenvolvimento socioeconômico e sustentável em todos os estados brasileiros. Segundo ele, a tecnologia fotovoltaica é vital para a recuperação econômica após a pandemia, além de ser um recurso renovável que pode gerar mais empregos no planeta.

Estado do Espírito Santo também também se destaca, com marca significativa em geração distribuída

A ABSOLAR destacou ainda que além do estado de Minas Gerais, o Espírito Santo tem alcançado resultados notáveis ​​no setor de energia fotovoltaica na geração distribuída, com mais de 6.600 ligações operacionais, encontradas em todos os 78 municípios do estado. A entidade acrescentou que hoje existem cerca de 7.612 consumidores de energia elétrica no estado do Espírito Santo.

A potência operacional de imóveis industriais, residenciais, rurais, lojas e prédios públicos no estado do Espírito Santo é de 88,7 MW, que está entre os vinte estados brasileiros com maior potência instalada em modelo de geração distribuída. No ranking nacional da ABSOLAR, no qual Minas Gerais está no topo, a energia fotovoltaica distribuída do estado do Espírito Santo ocupa a 18ª posição. Só o estado responde por 1,8% de todo o parque solar distribuído nacional.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos