Investimento bilionário em Angra 3; serão investidos R$ 15,3 bilhões na construção da usina nuclear até 2025

Flavia Marinho
por
-
30-12-2020 11:39:09
em Economia, Negócios e Política
angra - usina - eletrobras

O projeto de construção da usina nuclear Angra 3 corresponde a 37,2% do total de recursos previstos no novo plano de negócios (R$ 41,1 bilhões) da estatal

Do montante de R$ R$ 41,1 bilhões, a Eletrobras prevê investir R$ 15,3 bilhões nas obras da usina nuclear Angra 3 no período de 2021 a 2025. Também se prevê investimentos de R$ 11 bilhões em transmissão e R$ 28,1 bilhões para geração, além de R$ 2 bilhões em investimentos ambientais e infraestrutura.

Leia também

O projeto de Angra 3 corresponde a 37,2% do total de recursos previstos no novo plano de negócios (R$ 41,1 bilhões) da estatal. Para o ano que vem, está previsto um aporte de R$ 2,8 bilhões. Já em 2022 e 2023, serão aplicados cerca de R$ 3,4 bilhões em cada ano.

No ano de 2024 e 2025, a Eletrobrás inestirá R$ 3,2 bilhões e 2,2 bilhões no empreendimento, respectivamente. Ao todo já foram investidos nas obras da usina nuclear Angra 3 cerca de R$ 8,4 bilhões, apontam os dados da Eletronuclear.

Um estudo para atualizar os valores necessários para conclusão das obras de Angra 3 estão sendo avaliados por uma auditoria independente. A nova planta da usina nuclear Angra 3 está prevista para entrar em operação comercial em 2026.

É o que consta de decisão do Conselho de Administração da Eletrobras aprovado no dia 23, o chamado Plano Diretor de Negócios e Gestão ou PDNG 2021-2025. O plano considera os impactos causados pela pandemia de Covid-19 no setor e se desenvolve a partir da avaliação de cenários e tendências futuras, tanto econômicas, quanto tecnológicas, sociais e corporativas.

De acordo com comunicado divulgado a Eletrobras, visando superar os desafios impostos pelo atual cenário e alcançar seus objetivos estratégicos, elenca uma série de iniciativas estratégicas, entre as quais, destacam-se:

– Avaliação e implementação alternativas de capitalização da Eletrobras, prioritariamente a partir da viabilização do PL 5.877/2019, da desestatização da empresa;
– Continuação do processo de racionalização das participações em SPEs, alcançando o quantitativo de 49 participações em dezembro de 2021;
– Viabilização da conclusão de Angra 3, por meio de realização de chamada pública internacional;
– Implantação de uma cultura de alta performance, a partir de diagnóstico das culturas vigentes nas empresas e da criação de um plano de ações voltado para orientá-las para uma cultura de excelência e foco em resultados.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.