Lava Jato: Petrobras recebe 45 milhões de dólares em acordo de corrupção da Vitol

Flavia Marinho
por
-
30-12-2020 08:01:03
em Petróleo, Óleo e Gás
lava jato - petrobras - vitol - corrupção

De acordo com a Petrobras até o momento a companhia recuperou 4,8 bilhões de reais em acordos e compensações relacionados à investigação da Lava-Jato

Petrobras informou ontem (29/12) em fato relevante que recebeu 232,6 milhões de reais em um acordo com a empresa suíça de comércio de energia Vitol, que foi implicada em uma investigação nacional de corrupção na Operação Lava Jato. Petroleira Perenco fará investimento bilionário em campos de petróleo comprados da Petrobras, na Bacia de Campos

Leia também

No comunicado, a petroleira estatal brasileira disse que o acordo foi intermediado como parte de um acordo de leniência entre a Vitol e o Ministério Público Federal.

A ampla investigação, conhecida como Operação Lava Jato, descobriu empresas que pagavam propinas para contratos da Petrobras e implicou centenas de empresas e funcionários públicos.

De acordo com a Petrobras até o momento a companhia recuperou 4,8 bilhões de reais em acordos e compensações relacionados à investigação da Lava Jato.

No início deste mês, a subsidiária norte-americana da Vitol concordou em pagar US$ 164 milhões para resolver investigações do governo dos EUA sobre supostos subornos que a empresa pagou no Brasil e em outros países para impulsionar seus negócios de comércio de petróleo. Vitol disse em um comunicado na época que não tolera corrupção e está cooperando com as autoridades.

Petrobras abre arbitragem contra Odebrecht de R$ 800 milhões referente à petroquímica Braskem

Petrobras informou na última terça (28) que iniciou um requerimento de arbitragem com demanda indenizatória contra a Odebrecht, estimada em aproximadamente 800 milhões de reais.

De acordo com o informe ao mercado, a Petrobras alega violação dos termos do acordo de acionistas referente à Braskem. A petroquímica Braskem não é parte da referida arbitragem, que é protegida por confidencialidade, explicou o comunicado.

Em agosto deste ano a Odebrecht anunciou que irá vender toda sua parte na Braskem. A notícia veio por meio de um documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe