Início Indo contrário a promessa de acabar com a dependência do petróleo, especialistas afirmam que gasolina sintética polui tanto quanto a comum

Indo contrário a promessa de acabar com a dependência do petróleo, especialistas afirmam que gasolina sintética polui tanto quanto a comum

10 de dezembro de 2021 às 10:38
Compartilhe
Siga-nos no Google News
gasolina comum - gasolina sintética - petróleo -
Audi foi a primeira a anunciar lote de gasolina sintética que não necessita do petróleo – crédito: hypness

Diversas entidades do setor automotivo já afirmaram que a gasolina sintética é mais limpa se comparada com as derivadas de petróleo. Entretanto, recentemente estudos de especialistas descobriram que o combustível sintético polui assim como a gasolina comum

Apresentado como outra solução aos veículos elétricos, os combustíveis sintéticos podem não ser tão sustentáveis quanto vem sendo anunciado. Essa é a conclusão de alguns testes realizados pela publicação europeia Transport & Environment (T&E). De acordo com a análise, novos testes de emissão mostraram que os veículos movidos a gasolina sintética emitem basicamente a mesma quantidade de NOx quanto os modelos com combustíveis derivados de petróleo. Resumindo, a gasolina sintética é semelhante à gasolina comum e o diesel em termos químicos e tem sido apresentada pela indústria de fornecedores automotivos e de combustíveis fósseis como uma forma de prolongar o uso de carros a combustão em meio a transição energética.

Leia também

Uso de gasolina sintética não terá grandes efeitos na redução de poluentes

Conheça a Gasolina sintética – Reprodução/Youtube

Entretanto, transformar energia limpa em combustíveis que não utilizam petróleo é um processo em que acontece bastante perda de eficiência, além disso o custo de produção é muito alto e, agora, foi descoberto que apesar de todo o processo, a gasolina sintética não é tão limpa quanto parece.

A conclusão do T&E é que o uso da gasolina sem petróleo em veículos não fará uma grande redução dos gases que trazem problemas de qualidade do ar nas cidades. As emissões de um carro que utiliza gasolina derivada de petróleo e três misturas diferentes de gasolina sintética foram comparadas em testes de laboratório.

Praticamente, um modelo que roda com a sintética emite altos níveis de NOx tóxico na mesma proporção que carros com motores a gasolina comum. Além disso, se for levado em consideração a gasolina padrão E10 da União Europeia, a sintética libera 3 vezes mais amônia e monóxido de carbono, segundo a organização de pesquisa IFP Energies Nouvelles.

Produção da gasolina sintética é menos eficiente que a energia de carros elétricos

Segundo a análise, as propostas do setor automotivo para abrir espaço e inserir os combustíveis sintéticos nas metas de emissões de CO2 dos carros comercializados na Europa farão com que os custos finais para os motoristas aumentem.

Sendo assim dirigir um modelo que não utilize gasolina comum e sim sintética, custará 10 mil euros a mais do que um carro elétrico semelhante em um período de cinco anos.

Por fim, a fabricação dos combustíveis que não usam petróleo tem uma eficiência bem menor do que a energia dos carros elétricos. Atingir um patamar de comercialização de 10% de carros novos com gasolina sintética em vez de eletrifica-los exigirá 23% a mais de eletricidade vinda de fontes limpas, de acordo com um o estudo independente da T&E.

Carros elétricos são a melhor opção para a sustentabilidade

Os combustíveis sem petróleo perderam a corrida para a mobilidade sustentável, entretanto nunca chegaram perto. Os veículos elétricos a bateria ofertam aos motoristas a solução mais limpa, acessível e eficiente de descarbonizar, enquanto os sintéticos e mais adequados para os aviões, onde a eletrificação ainda não é uma opção.

Enquanto marcas como a Mercedes-Benz já anunciaram que este tipo de combustível não está nos planos para diminuir as emissões, montadoras como a Porsche, ainda que apostem nos elétricos, tem investido na produção de sintéticos

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes