Governo Federal lança programa para impulsionar a construção de ferrovias

Roberta Souza
por
-
09-09-2021 14:06:55
em Logística e Transporte
Ferrovia – construção – governo Ferrovia/ Fonte: Twitter

Através do programa “Pro Trilhos”, criado pelo Governo Federal, foram assinados requerimentos para construção de 11 trechos de ferrovias

O Ministério da Infraestrutura informou por meio de um comunicado que após Medida Provisória que viabiliza o programa Pro Trilhos, do Governo Federal, já recebeu 11 pedidos de autorização para construção de ferrovias pelo país. Juntas, as solicitações somam 3,3 mil quilômetros de novos trilhos e R$ 53,5 bilhões de investimentos. Leia ainda esta notícia: Trecho da Ferrovia Centro-Atlântica na Bahia receberá R$ 3,5 bilhões de investimentos

O programa Pro Trilhos, do Governo Federal

O Pro Trilhos foi instituído pela Medida Provisória nº 1.065/21 visando aumentar a atratividade do setor privado para realizar investimentos em ferrovias, sejam elas por meio de novos empreendimentos ou utilizando ferrovia já existente.

Durante a cerimônia, foram assinados requerimentos de autorização ferroviária para construção de 11 trechos de ferrovias. Juntas, as solicitações somam 3,3 mil quilômetros de novos trilhos e R$ 53,5 bilhões de investimentos. As novas ferrovias cortam cidades de nove estados em quatro regiões brasileiras: Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Piauí e São Paulo.

Com a formalização dos pedidos, os requerimentos começam a ser avaliados pelo Ministério da Infraestrutura, responsável por emitir as autorizações, caso os empreendimentos cumpram todos os requisitos exigidos pelo Governo Federal. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as medidas adotadas pelo Governo Federal no setor estão promovendo a maior revolução ferroviária dos últimos anos. “Estamos celebrando a nossa independência logística. A gente está celebrando o resgate do módulo ferroviário”, afirmou.

Construção de nova ferrovia entre Minas Gerais e o Espírito Santo

A construção da Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo (EFMES) está mais próxima de se concretizar. A ferrovia é planejada para ligar o Centro Portuário de São Mateus, no estado do Espírito Santo a Ipatinga, em Minas Gerais, e o início de obras é previsto para 2023. Ao todo, 3.500 profissionais serão contratados para trabalhar nas obras de construção da malha, sendo aproximadamente duas mil vagas no estado do Espírito Santo, para diversos cargos.

O projeto inicial da ferrovia prevê a construção da nova estrada de ferro margeando a BR-381, com passagem por Barra de São Francisco, Nova Venécia e Governador Valadares, conforme apurou o Diário do Aço. O empresário explicou que, em um segundo momento, há ainda o projeto da Petrocity para que a ferrovia chegue até Sete Lagoas, contornando a Serra do Tigre, que representa um gargalo ferroviário entre a região Centro-Oeste do país e os portos do Espírito Santo.

Já no Paraná, cerca de R$ 21,45 bilhões serão investimentos na construção de dois novos trechos de ferrovia

Operadores logísticos se encontraram no Palácio do Planalto durante o lançamento do programa Pró Trilhos, iniciativa que deve ser uma vitrine das ações do governo na área. A região sul do país recebeu boas notícias na abertura do setembro Ferroviário, temporada de ações federais para estimular a ampliação e a modernização das ferrovias. Estão previstos a construção de 571 quilômetros de novos trilhos cruzando municípios paranaenses, cujos investimentos somam R$ 21,45 bilhões.

A ferrovia Ferroeste apresentou propostas para construir e operar dois novos segmentos férreos no Paraná, ambos com conexão com um terminal portuário. O primeiro vai de Guarapuava a Paranaguá, tem aproximadamente 405,2 quilômetros e cria nova opção de escoamento de cargas para o Porto de Paranaguá, um dos maiores do país. O segundo trecho liga Cascavel a Foz do Iguaçu, possui extensão de 166 quilômetros e visa consolidar um corredor de transporte Internacional de cargas, que também chega até o Porto de Paranaguá.

Agora, tais requerimentos começam a ser avaliados pelo Ministério da Infraestrutura (MInfra), responsável por emitir as autorizações, caso os empreendimentos cumpram todos os requisitos exigidos pelo Governo Federal, nos termos da MP nº 1.065, publicada em 30 de agosto. As autorizações das ferrovias têm potencial de aumentar a participação do modal dos atuais 20% para 40% da logística nacional de transportes até 2035.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe