MENU
Menu
Início Governo Federal analisa a possibilidade de criar um programa de acesso à energia solar para que população carente tenha contato com as fontes renováveis

Governo Federal analisa a possibilidade de criar um programa de acesso à energia solar para que população carente tenha contato com as fontes renováveis

4 de fevereiro de 2023 às 00:46
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Como forma de garantir mais qualidade de vida à população carente, o Governo tem estudado a possibilidade de criar um programa que ceda acesso à energia solar a um baixo custo, tornando o seu uso mais democrático aos cidadãos, incluindo os que possuem baixa renda.
Foto: iStock

Como forma de garantir mais qualidade de vida à população carente, o Governo tem estudado a possibilidade de criar um programa que ceda acesso à energia solar a um baixo custo, tornando o seu uso mais democrático aos cidadãos, incluindo os que possuem baixa renda.

Com a popularização da energia solar fotovoltaica, o atual governo federal brasileiro está estudando a possibilidade de garantir acesso à fonte para a população carente do país. A proposta aconteceria através de um programa que seria o responsável por facilitar a conexão entre ambas as partes, democratizando o acesso à energia solar para todos.

Proposta ainda não está definida ou oficializada, mas primeira versão elaborada visa criar diferentes categorias para viabilizar o acesso

É válido destacar que, de acordo com a proposta, o modelo a ser usado seria o de geração distribuída. No segmento da energia solar fotovoltaica, representa a situação em que o consumidor gera a sua própria energia, sendo ela proporcional às suas necessidades.

Artigos recomendados

Diante da ideia do projeto, o Ministério de Minas e Energia, recentemente eleito, elaborou as diretrizes para o plano e fez uma apresentação no começo de 2023, na primeira semana de janeiro, demonstrando que há certa urgência em lapidar a ideia.

De acordo com a primeira ideia apresentada, o cronograma aponta para uma execução que vai durar em torno de 100 até a implementação completa.

Em relação ao formato, estima-se que sejam criadas diferentes categorias para contemplar os cidadãos de acordo com a sua renda, apresentando modelos de aquisição compatíveis com cada um.

A separação seria necessária para analisar, por exemplo, as fontes de financiamento e o cálculo dos juros que, no caso da população de baixa renda, seria reduzido para facilitar o acordo.

Para isso, beneficiários de projetos sociais também são tratados como prioridades no texto da proposta, incluindo aqueles que são assistidos por iniciativas como Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, por exemplo.

Iniciativa segue previsão do mercado em relação ao aumento do uso de energias de fontes renováveis ao redor do mundo, principalmente a energia solar fotovoltaica

Energias renováveis contribuem com um país limpo e preocupado com o meio ambiente, além de amenizarem a conta de luz que chega a cada mês.

A popularização da proposta tem um impacto no país inteiro, beneficiando, de forma indireta, até mesmo aqueles que não possuem energia solar.

A categoria tem aumentado gradativamente e a tendência é que continue.

Em 2022, o crescimento da potência instalada de energia solar foi de mais de 60%, de acordo com os dados liberados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, a Absolar.

Em termos numéricos, isso significa que a potência instalada foi de 14,2 gigawatts para 23 gigawatts entre os meses de janeiro e dezembro.

O salto é considerável e mostra como a energia solar tem se tornado mais viável para a população, já que é usada por usinas de grande porte, assim como sistemas de geração distribuída.

Ao todo, atualmente, a energia solar fotovoltaica já assume o posto de segunda fonte energética mais usada no Brasil, correspondendo a 11,2% do total, com 23,9 gigawatts de potência instalada.

O dado foi fornecido pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Com a possível ação do governo que deve ser oficializada e iniciada em 2023, a popularização da energia solar vai atingir números ainda maiores em uma velocidade rápida, considerando que a população carente no país representa grande parte do todo. O programa, ao conceder acesso a mais pessoas, incentivaria a geração distribuída e o contato com fontes renováveis de energia, resultando em uma série de benefícios.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR