Gás natural é destaque no leilão de energia A-6 com 26 projetos de termelétricas inscritos

gás natural

Projetos de termelétricas a gás natural ocupam a terceira posição no ranking das fontes de energia, mas respondem por quase 30% da capacidade de geração.

Tal qual foi o sucesso do leilão da ANP que aconteceu ontem, no Rio de Janeiro o Ministério das Minas e Energia espera a mesma coisa do Leilão de energia A-6, com prazo de início de geração em 2025, marcado para sexta-feira da próxima semana (18/10). Petrobras e Equinor firmam investimentos focados em projetos de geração termelétrica a gás natural.
O leilão acontecerá na próxima sexta-feira (18/10) e contará com 1.541 projetos inscritos, vejam abaixo o ranking por fonte de energia e por capacidade instalada.

Os 1541 projetos habilitados somam uma capacidade instalada de 71.385 megawatts (MW), o que equivale a 42,5% da capacidade instalada de todo o parque gerador brasileiro atual.
A disputa por geração de energia tem a liderança da fonte eólica seguida pela voltaica e das termelétricas a gás natural, vejam os números:

Por tipos de projetos

1° lugar: Geração éolica – 760 projetos
2° lugar: Geração solar fotovoltaica – 685 projetos
3° lugar: Geração hidrelétrica – 48 projetos
4° lugar: Geração termelétricas a gás natural – 26 projetos
5° lugar: Geração termelétricas a biomassa – 20 projetos
6° lugar: Geração termelétricas a carvão – 2 projetos

Por capacidade instalada

1° lugar: Geração solar fotovoltaica – 24.753 MW
2° lugar: Geração eólica – 22.550,6 MW
3° lugar: Geração termelétricas a gás natural – 21.580 MW
4° lugar: Geração termelétricas a carvão – 940 MW
5° lugar: Geração termelétricas a biomassa – 829 MW
6° lugar: Geração hidrelétrica – 732 MW

Por localização (principais)

1° lugar: Bahia – 16.750 MW
2° lugar: Rio Grande do Norte – 10.161 MW
3° lugar: Piauí – 7.961 MW
4° lugar: Ceará – 6.325 MW

Segundo dados da EPE (Empresa de pesquisa energética), o total de empreendimentos inscritos foi de 1.831 (um total de 100.968 MW) e o MME habilitou um total de 84,2% deles, ou seja, 70,9% da capacidade inscrita.

Leia também aqui no seu portal CPG ! Aproveitando a 16° leilão de petróleo da rodada de concessões da ANP petroleira Malaia compra campo na Bacia de Campos e faz sua estréia no Brasil

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Posted Under
Sem categoria