Falência de mineradora MMX de Eike Batista é decretada por justiça de Minas Gerais

Roberta Souza
por
-
07-05-2021 13:45:46
em Economia, Negócios e Política
Mineradora – Eike Batista – Minas Gerais Foto: reprodução

A mineradora MMX Sudeste, do empresário Eike Batista, teve sua falência decretada pela 1ª Vara Empresarial de Belo Horizonte, em Minas Gerais

Em nota divulgada ontem, ao mercado, a MMX Mineração informou que tomou conhecimento da decisão da 1ª Vara Comercial de Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais, sobre o anúncio da falência da sua subsidiária. A MMX Sudeste Mineração é uma empresa pertencente ao empresário Eike Batista. A sentença da juíza Cláudia Batista baseou-se no descumprimento da mineradora no Plano de Recuperação Judicial (PRJ), o que foi suficiente para amparar o pedido.

Decreto de falência da mineradora de Eike Batista foi emitido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Em 2019, a 4ª Vara Comercial do Rio de Janeiro havia declarado a falência da mineradora, mas os advogados de Eike Batista apelaram para reverter a decisão. A MMX alegou que a decisão de falência acolheu o pedido do administrador judicial sem a atuação anterior da empresa, no qual não teve a oportunidade de exercer o contraditório.

A mineradora ainda explicou que, caso a falência seja confirmada, o PRJ precisará ser reformulado (atualmente em preparação e deverá ser submetido aos credores), isso porque a exploração da mina de Bom Sucesso, principal ativo da MMX Sudeste, não será mais viável.

Após a notícia, as negociações das ações da MMX foram interrompidas, ontem, pela B3, que aguardou até às 14h (horário de Brasília) para obter informações sobre as medidas da empresa para enfrentar a falência de sua subsidiária. O impacto do decreto de falência da mineradora de Eike Batista, entre outras informações, influenciarão em seus negócios, mesmo que recorram a decisão.

Mineradora de Eike Batista pretende recorrer

Em uma informação divulgada, a mineradora MMX, de Eike Batista, pretende recorrer sobre a posição da 1ª Vara Comercial de Belo Horizonte e sobre a decisão ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG).

A mineradora MMX, de Eike Batista, explicou que, caso a falência seja confirmada, o “Plano de Recuperação Judicial” precisará ser reformulado, e que está avaliando a melhor estratégia a ser adotada para reverter a decisão e seus impactos, de forma a preservar os interesses de seus acionistas e credores.

MMX e o contrato com a China Development Integration

De acordo com o comunicado, a falência da MMX Sudeste pode ter impacto significativo nos termos e condições firmados com a China Development Integration, no dia 25 de março de 2021, pois o decreto é o motivo da rescisão do contrato. Além disso, a mineradora destacou que a falência da MMX Sudeste pode impactar significativamente na recuperação judicial da MMX, pois sua subsidiária é um de seus principais ativos e, desde 2014, a empresa passa por uma reestruturação judicial.

A MMX divulgou que busca investidores que forneçam um instrumento que garantirá o investimento de US$ 50 milhões, em acordo com os termos e condições da CDIL, porém, as negociações no papel levarão muito tempo para serem retomadas. Já o preço da ação da mineradora de Eike Batista voltou a ser negociado a partir das 16h10min da tarde, com queda de 26,65%, no valor de R$ 18,85 (4:34 da tarde).

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos