MENU
Menu
Início Estudo do Fórum Econômico Mundial indica que novas tecnologias e transição verde vão gerar mais de 69 milhões de empregos até 2027

Estudo do Fórum Econômico Mundial indica que novas tecnologias e transição verde vão gerar mais de 69 milhões de empregos até 2027

1 de maio de 2023 às 16:13
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
milhões de empregos
Foto: Fontes de energia

Novo relatório do Fórum Econômico Mundial (WEF) produzido em colaboração com a Fundação Dom Cabral (FDC) mostra que as novas tecnologias e a prática sustentável da transição verde e transformação tecnológica vão gerar mais de 69 milhões de empregos em todo o mundo até o ano 2027.

O estudo analisou mais de 673 milhões de postos de trabalho em 45 economias e realizou pesquisas de opinião com 803 empresas de 27 setores diferentes, responsáveis por mais de 11 milhões de empregos.

Entre os empregos que mais crescerão estão os especialistas em inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina, especialistas em sustentabilidade, analistas de inteligência de negócios e especialistas em segurança da informação. No entanto, os setores com maior demanda serão educação, agricultura e comércio digital.

Artigos recomendados

Áreas de atendimento, como caixas de banco, cobradores e funcionários dos Correios, bem como trabalhadores ambulantes e vendedores de porta em porta serão os mais afetados, prevê o estudo. No geral, o estudo indica uma redução líquida de 14 milhões de postos de trabalho ou 2% do emprego atual, com a desaceleração da economia global e o aumento de custos de insumos e vida como os principais fatores previstos para a perda de empregos.

No Brasil, apenas 17% da força de trabalho possui um diploma de educação de nível superior ou profissionalizante, segundo destaca o relatório

Das organizações brasileiras que adotam programas de diversidade e inclusão (D&I), 81% priorizam treinamentos para seus gerentes. O relatório também ressalta a importância de investir em diversidade e inclusão para estabelecer ambientes de trabalho atraentes, mostrando que 68% dos trabalhadores da Geração Z não estão satisfeitos com o progresso de suas organizações na criação de um ambiente de trabalho diversificado e inclusivo.

Para os empregadores, 44% das habilidades dos trabalhadores serão alteradas nos próximos cinco anos e 60% da força de trabalho atual precisará de treinamento antes de 2027. As competências mais importantes exigidas para os trabalhadores em 2023 são: pensamento analítico, criatividade, resiliência, flexibilidade, agilidade, motivação e autoconsciência, curiosidade e formação contínua, literacia tecnológica, empatia, escuta ativa, liderança e influência social e controle de qualidade.

O estudo indica que os investimentos que facilitam a transição verde dos negócios, a implantação de padrões ESG e cadeias de suprimentos locais tendem a gerar ganhos significativos no número de vagas disponíveis

No Brasil, as funções mais selecionadas pelas organizações pesquisadas, com saldo líquido positivo de empregos, incluem: analistas e cientistas de dados (31%), profissionais de desenvolvimento de negócios (25%), gerentes de operações (13%) e advogados (13%).

Apesar dos desafios, o relatório destaca que há oportunidade para as empresas desenvolverem novas habilidades e profissionais e passarem a adotar práticas mais sustentáveis, inclusivas e inovadoras. Além disso, é importante que governos e empresas trabalhem juntos para garantir a transição justa dos trabalhadores e minimizar os impactos negativos das mudanças no mercado de trabalho.

A transformação do mercado de trabalho é uma oportunidade para o desenvolvimento de novas habilidades e práticas mais sustentáveis, inclusivas e inovadoras. Governos e empresas devem trabalhar juntos para garantir uma transição justa para os trabalhadores e minimizar os impactos negativos das mudanças.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR