Estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, vai gerar muitas vagas de emprego para a construção de dois navios de grande porte

Estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, vai gerar muitas vagas de emprego para a construção de dois navios de grande porte Estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, vai gerar muitas vagas de emprego para a construção de dois navios de grande porte

O estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, será a base da construção dos dois navios, que terá o financiamento do Fundo da Marinha Mercante, gerido pelo Ministério da Infraestrutura

A semana está recheada de boas notícias para os profissionais da indústria naval! Muitas vagas de emprego estão por vir no estaleiro Enseada, da Bahia para a construção de dois navios de grande porte. As obras contam com o financiamento do Fundo da Marinha Mercante, gerido pelo Ministério da Infraestrutura. Estaleiro Ecovix vai gerar cerca de 5 mil vagas de emprego com a construção do navio POLAR para a Marinha do Brasil

Leia também

O início das obras está previsto para janeiro de 2021, onde o estaleiro Enseada Indústria Naval, da Bahia, será a base da construção de dois navios porta-contêineres pela Petrocity Portos, que atualmente, projeta a construção de um porto de grandes dimensões, em São Mateus, no Norte do Estado.

O primeiro dos navios já entrará em operação em 2022! O valor total do investimento para a construção dos dois navios de grande porte será de R$ 617 milhões, onde cada navio custará, de acordo com a Resolução 174/2020, o valor global de 73,443 milhões de dólares americanos, aproximadamente R$ 308,5 milhões.

Os navios porta-contêineres que serão construídos no estaleiro Enseada, na Bahia, são embarcações de 1.500 pés (75 TEUS), destinados ao transporte de cabotagem (entre portos nacionais) com capacidade para 2 mil toneladas.

De acordo com José Roberto Barbosa da Silva, presidente da Petrocity Portos, a conclusão da construção dos navios está prevista para acontecer antes mesmo de terminarem as obras do porto em Urussuquara e que vai operar a partir do próprio Estaleiro Enseada.

A construção dos dois navios vai gerar 750 vagas de emprego em Maragogipe, Bahia, sendo o primeiro contrato de grande porte do estaleiro Enseada, desde que foi atingido crise naval devido a Operação Lava Jato, e muitos trabalhadores perderam o seu emprego.

Para lembrar, O Estaleiro Enseada pertencia inicialmente a um consórcio formado pela Odebrecht Engenharia Industrial, OAS e UTC Engenharia. Hoje, a indústria é apenas da Odebrecht Engenharia, também parceira da Petrocity na construção do porto. É dela o principal contrato – no valor de R$ 2,1 bilhões – quando as obras iniciarem.

O presidente da Petrocity disse em entrevista ao Petronotícias, que o contrato com o Estaleiro Enseada já foi assinado pela companhia capixaba, cujo principal projeto é a construção do Centro Portuário de São Mateus, num investimento de mais de R$ 3,1 bilhões. A esfera federal já desembaraçou as autorizações para a obra, assim como a Prefeitura local, mas ainda falta a licença do Instituto Estadual de Meio-Ambiente (IEMA).

Para o executivo o objetivo de construir os dois navios de grande porte é porque “a Petrocity vai ser um grande hub de cabotagem, com plataforma avançada de 1,8km da praia, para navegação de grande curso fazendo transbordo para cabotagem. Dentro dessa visão de BR do Mar, a empresa se antecipou e desde 2018 vem desenvolvendo esse projeto, junto com o Estaleiro Enseada e um parceiro internacional, para implementar o transporte de cabotagem, o que será possível com esse financiamento dos dois navios, que custarão R$ 616 milhões e que começarão a ser construídos, em janeiro de 2021, pela nova previsão”.

“Vamos não apenas incentivar, mas investir na cabotagem, porque entendemos que esta é a grande saída para a mobilidade de cargas no Brasil. O marco regulatório BR do Mar vai trazer um ganho muito grande para os produtores de carga, principalmente para região de influência da Petrocity, o Norte e Noroeste do Espírito Santo, Sul da Bahia e leste de Minas, chegando ao Vale do Aço e à Grande Belo Horizonte”, conclui José Roberto Barbosa.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.