Início Empresas nordestinas Elétron Energy e Kroma Energia se unem para construção do novo complexo de energia solar no estado de Pernambuco

Empresas nordestinas Elétron Energy e Kroma Energia se unem para construção do novo complexo de energia solar no estado de Pernambuco

15 de julho de 2022 às 16:57
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Acompanhando o crescimento no mercado de energia solar no Brasil e a alta demanda pelo recurso, as companhias pernambucanas Elétron Energy e Kroma Energia se uniram para um novo projeto de construção de complexo solar no estado.
Foto: Rafael Medeiros/Elétron Energy

Acompanhando o crescimento no mercado de energia solar no Brasil e a alta demanda pelo recurso, as companhias pernambucanas Elétron Energy e Kroma Energia se uniram para um novo projeto de construção de complexo solar no estado.

As companhias nordestinas Elétron Energy e Kroma Energia estão desenvolvendo um novo grande empreendimento para o estado de Pernambuco, um complexo de produção de energia solar. Até essa sexta-feira, (15/07), sabe-se que a construção contará com um investimento total de R$ 340 milhões e visa suprir a alta demanda pela energia solar no mercado nordestino, bem como atrair novos negócios para o estado de Pernambuco, que possui um alto potencial de aproveitamento desse recurso.

Novo projeto das companhias pernambucanas Elétron Energy e Kroma Energia será um complexo de produção de energia solar para suprir alta demanda do mercado

As companhias pernambucanas Elétron Energy e Kroma Energia se uniram e anunciaram o mais novo empreendimento para o estado de Pernambuco, um complexo de produção de energia solar que será instalado na região. Batizado de São Pedro e Paulo, o mais novo complexo da região está sendo construído no município de Flores, no Sertão de Pernambuco, com obras já iniciadas deste o mês de junho e previsão de entrega para o início de 2023. 

Artigos recomendados

O complexo de produção de energia solar das empresas serão responsáveis pelo fornecimento de um total de 101 megawatts-pico (MWp), sendo 30% da energia direcionada para contratos no mercado livre (ACL) e 70% para o mercado regulado  (ACR), por PPA’s (Power Purchase Agreement), que já estão assinados com outras companhias. Dessa forma, a Elétron Energy e a Kroma Energia conseguirão expandir fortemente a sua presença no segmento de produção e comercialização de energias renováveis na região nordestina. 

Além disso, as empresas anunciaram que o projeto de construção do complexo de energia solar tem um investimento total de R$ 340 milhões e o financiamento será realizado pelo Banco do Nordeste (BNB) pelo custo de R$ 218 milhões.

Por fim, as projeções das empresas para o potencial de produção do recurso mostram que a capacidade do complexo será equivalente ao utilizado em todo o sertão do Pajeú, região que possui 150 mil domicílios. Esse se tornará um empreendimento de referência para a região do estado de Pernambuco e contribuirá para a atração de investidores para o segmento na área. 

Mercado de energia solar está aquecido no Brasil, com foco na Geração Distribuída, e companhia aproveita momento junto da Kroma Energia para novo projeto

As companhias Elétron Energy e Kroma Energia estão aproveitando o cenário favorável às energias renováveis para o desenvolvimento do novo projeto no estado de Pernambuco, uma vez que o mercado de energia solar está aquecido no Brasil. Dessa forma, outro projeto que deve ser inaugurado antes de 2025 no estado é da Enercom Renováveis, que já havia apresentado o empreendimento de geração de energia solar.

Trata-se da Usina Solar Luiz Gonzaga II, que será instalada no município de Terra Nova, a 600 quilômetros da capital Recife e terá uma capacidade instalada de mais de 30 MW, conseguindo assim produzir o suficiente para mais de 100 mil pessoas. As obras foram iniciadas durante o ano de 2021 e a entrega do complexo está prevista para o ano de 2025, caso o projeto de construção saia como o esperado. 

E, na produção de energia solar, o modelo de geração distribuída é o mais procurado no estado de Pernambuco. “Recebemos, em média, 2 mil projetos de geração distribuída por mês e ligamos, aproximadamente, 1,5 mil. O crescimento em 2021 foi de 200%”, destacou o gerente de Relacionamento com Grandes Clientes da Neoenergia, Rafael Motta quanto ao crescimento do setor no estado.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes