Em parceira com a Rumo, Usina Coruripe fará investimento de R$ 70 milhões em terminal rodoferroviário, em Minas Gerais

Roberta Souza
por
-
02-11-2020 11:16:59
em Logística e Transporte, Usina e Agronegócio
Rumo, Usina, investimento, rodoferroviário Usina Coruripe

A Usina Coruripe, produtora de açúcar e etanol, juntamente com a empresa de logística Rumo, vai investir em terminal rodoferroviário para aumentar o escoamento de produção

A Usina Coruripe, produtora de açúcar e etanol, lançou no último dia 29 a pedra fundamental de um terminal rodoferroviário em Iturama, no Estado de Minas Gerais, que foi desenvolvida para facilitar o escoamento de 2 milhões de toneladas de açúcar VHP por ano com destino ao Porto de Santos, em São Paulo. O investimento em parceria com a operadora ferroviária Rumo é de R$ 70 milhões.

Veja ainda outras notícias:

Segundo Francisco Vital, diretor comercial da Usina Coruripe, além da economia de custos de transporte, o projeto do único terminal rodoferroviário mineiro conectado à Norte-Sul, o investimento também traz benefícios ambientais por conta do descarregamento de rodovias na região. Das duas toneladas planejadas, pelo menos 75% são transportadas de caminhão para o litoral de São Paulo.

Vital diz que “Esse será um terminal de altíssimo giro, com uma capacidade de carregamento muito alta para tornar o ativo – trem e vagões – muito bem usado. Ele vai trazer desenvolvimento para toda a região porque, além de transportar o nosso açúcar, também vai levar o açúcar de terceiros produzido em Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás (em um raio de até 500 quilômetros). Antes uma pequena parte dessa produção era escoada através do terminal de Fernandópolis (SP), mas Iturama, além de muito mais perto, tem maior capacidade. Ele poderá fazer até 6 milhões de toneladas em breve”.

A meta é que o terminal entre em operação em março de 2021, mas o gerente aposta que a primeira remessa sairá de Minas Gerais em janeiro. A nova unidade está localizada no KM 15 da rodovia BR-497 e terá alta velocidade de recebimento e carregamento, e está equipada com uma pera ferroviária – área em formato circular para manobra de trens – que agilizará as operações.

O projeto tem uma área total estimada de 20 hectares e será equipada com dois tombadores, um armazém com capacidade estática de 40.000 toneladas e uma tulha de carregamento de vagões, que pode carregar 1.500 toneladas de caminhões por hora.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos