China desafia Google e constrói o computador quântico mais poderoso do mundo

Flavia Marinho
por
-
18-07-2021 11:35:29
em Indústria e Construção Civil
China - quântico - computação quântica - google - supremacia - tecnologia Supremacia quântica China /Imagem Google

A computação quântica cresce espetacularmente nos últimos anos. Não só a China participou da disputa, como recentemente venceu a gigante Google, projetando o computador quântico mais poderoso do mundo!

Há dois anos, a gigante Google anunciou que havia alcançado a “supremacia quântica”. O computador Sycamore representou um grande passo à frente no mundo da computação quântica. No entanto, pesquisadores chineses desafiaram a gigante de serviços online e de softwares Google e anunciaram que desenvolveram um computador quântico ainda mais poderoso.

Leia também

Mais poderoso que a Google

La Chine, et non plus Google, possède désormais l'ordinateur quantique le  plus puissant au monde

Uma equipe da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hefei (China) afirma ter fabricado uma máquina que supera o computador quântico da Google. Os pesquisadores também forneceram detalhes em uma publicação na plataforma arXiv em 28 de junho de 2021. No entanto, por enquanto, é uma pré-publicação, pendente de validação por pares.

Em 2019, a Google apresentou o Sycamore, um computador com um processador quântico de 54 qubits. Este último realizou uma operação de cálculo muito complexa em apenas 200 segundos. No entanto, este era um problema que um computador convencional levaria cerca de 10.000 anos para resolver.

Em sua publicação, cientistas chineses referem-se ao Zuchongzhi, um processador com 66 qubits. No entanto, ele usou apenas 56 qubits para uma simulação que seria duas a três vezes mais complexa do que a do Google há dois anos.

Supremacia quântica da China: alcançada sem usar todo o poder do processador

De acordo com as autoridades, os Zuchongzhi realizaram a simulação em pouco mais de uma hora. No entanto, o supercomputador mais poderoso atual, o Fugaku do Riken Center for Computational Science (Japão), levaria pelo menos oito anos para resolver esse mesmo problema. Para a equipe, esta é uma vitória que mostra a supremacia da China em termos de pesquisa científica.

As perspectivas também são muito interessantes na pesquisa quântica, através da resolução de problemas mais complexos. No entanto, como mencionado acima, trata-se de uma pré-publicação e não de uma publicação em uma renomada revista científica. Assim, os pesquisadores chineses terão que demonstrar o poder de seus Zuchongzhi sob a observação de outros cientistas para fins de validação.

Por fim, vamos lembrar que outros pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hefei já apresentaram seu campeão: Juizhang (76 qubits). Em sua publicação de dezembro de 2020 na revista Science,os cientistas estimaram que o processador deste computador era dez bilhões de vezes mais poderoso que o do computador Sycamore. Os cientistas argumentaram que, se os dois computadores não tivessem sido projetados para realizar o mesmo tipo de tarefas, a maior velocidade computacional no caso de Juizhang pode ser considerada o indicador mais relevante de progresso.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.