1. Início
  2. / Indústria
  3. / Aqui está o erro mais caro dos navios porta-contêineres!
Tempo de leitura 2 min de leitura Comentários 1 comentários

Aqui está o erro mais caro dos navios porta-contêineres!

Escrito por Rafaela Fabris
Publicado em 17/06/2024 às 13:54
Aqui está o erro mais caro dos navios porta-contêineres!
Descubra como pequenos erros em navios de contêineres podem causar desastres milionários. Navios porta-contêineres enfrentam vários desafios durante suas viagens, que podem resultar na perda de cargas. Curiosamente, nem sempre são os fatores climáticos que causam essas perdas; muitas vezes, pequenos erros ou descuidos humanos são os verdadeiros culpados. Imagem: Tecnologia Portuária/Divulgação

Descubra como pequenos erros em navios de contêineres podem causar desastres milionários. Navios porta-contêineres enfrentam vários desafios durante suas viagens, que podem resultar na perda de cargas. Curiosamente, nem sempre são os fatores climáticos que causam essas perdas; muitas vezes, pequenos erros ou descuidos humanos são os verdadeiros culpados.

Navios porta-contêineres enfrentam uma série de desafios que podem levar a desastres custosos. Um exemplo notável é o caso do Ever Given, que encalhou no Canal de Suez em março de 2021. Este incidente não apenas bloqueou uma das rotas comerciais mais importantes do mundo, mas também causou um impacto econômico gigantesco.

A operação de resgate envolveu dragagem da areia ao redor do navio, uso de rebocadores e remoção de parte da carga. O bloqueio durou seis dias, interrompendo o tráfego marítimo global e resultando em semanas de atrasos e acúmulo de navios.

Outro exemplo trágico é o do navio porta-contêineres MOL Comfort

Que se partiu em duas partes em junho de 2013 devido a problemas estruturais. A ruptura do casco levou ao naufrágio do navio, resultando na perda de 1700 contêineres e 1500 toneladas de combustível, com um prejuízo estimado em 400 milhões de dólares. Este incidente destacou a importância de um design robusto e da manutenção adequada para evitar falhas catastróficas.

O MSC Napoli, que sofreu uma falha catastrófica no casco durante uma tempestade no Canal da Mancha em janeiro de 2007, é outro exemplo de como os navios porta-contêineres podem enfrentar grandes desastres. O resgate e a remoção do óleo e dos contêineres levaram dois anos e meio, custando ao governo britânico 120 milhões de libras esterlinas.

Em novembro de 2020, o One Apus perdeu 1816 contêineres no mar durante uma tempestade

Com prejuízos estimados em 200 milhões de dólares. Especialistas alertam que a pressão para cumprir cronogramas apertados pode levar a decisões arriscadas, como não desviar de tempestades, o que agrava os riscos no transporte marítimo.

Esses exemplos mostram que os navios porta-contêineres, apesar de sua importância no comércio global, são vulneráveis a pequenos erros que podem resultar em grandes desastres. A pressão por eficiência e rapidez, combinada com condições climáticas adversas e erros humanos, contribui para a ocorrência de incidentes custosos e perigosos. Por isso, a segurança e a manutenção adequada são cruciais para evitar tais desastres e garantir a integridade das operações marítimas.

Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recente Mais votado
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Rafaela Fabris

Fala sobre inovação, energia renováveis, petróleo e gás. Atualiza diariamente sobre oportunidades no mercado de trabalho brasileiro.

Compartilhar em aplicativos