1. Início
  2. / Economia
  3. / ANTT atualiza tabela de piso mínimo de frete rodoviário com redução média de 2,34% a 3,21%
Tempo de leitura 2 min de leitura

ANTT atualiza tabela de piso mínimo de frete rodoviário com redução média de 2,34% a 3,21%

Escrito por Bruno Teles
Publicado em 23/05/2023 às 12:10
Piso do frete rodoviário
foto: frete rodoviário

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou recentemente a atualização da tabela do piso mínimo de frete rodoviário, com reduções que variam de 2,34% a 3,21% para todos os tipos de operação.

A mudança do órgão regulador considerou o valor final do Diesel S10 nas bombas. Embora a ANTT tenha declarado que as reduções nos valores beneficiariam os caminhoneiros e transportadoras, esse não é o cenário da realidade.

O piso mínimo de frete rodoviário é uma tabela de referência que determina o valor mínimo a ser pago aos caminhoneiros para transportar cargas em todo o território brasileiro. O objetivo é garantir aos trabalhadores o mínimo necessário para cobrir os custos de operação dos veículos, como combustível, manutenção, entre outros.

Qual é a situação atual do piso mínimo de frete rodoviário?

Desde a greve dos caminhoneiros em 2018, o governo federal sancionou a lei do piso mínimo de frete rodoviário com o objetivo de trazer mais equilíbrio na relação entre caminhoneiros e empresas que contratam seus serviços. No entanto, a realidade mostra que as mudanças realizadas pela ANTT não foram tão benéficas quanto aparentam.

Embora a ANTT tenha reduzido os valores da tabela do piso mínimo de frete, devido à diminuição no preço do Diesel S10, esse reajuste não reflete a realidade do mercado. Com a desvalorização do real, os preços dos insumos, principalmente diesel e pneus, têm aumentado em ritmo acelerado, o que encarece o custo da operação.

Outro fator que influencia nessa situação é a alta demanda de caminhões, levando a sobrecarga nos veículos e, consequentemente, à necessidade de manutenções frequentes. Diante desse panorama, os caminhoneiros vêm sofrendo com a dificuldade em manter o equilíbrio financeiro e a qualidade de vida, e muitos acabam atolados em dívidas.

Segundo entidades representativas dos caminhoneiros, a ANTT deveria ter feito um reajuste positivo nos valores da tabela do piso mínimo de frete, considerando o aumento dos custos de operação. Além disso, a supervalorização dos fretes não é benéfica para nenhuma das partes, pois eleva os preços dos produtos para o consumidor final – situação que impacta negativamente na economia do país.

Bruno Teles

Falo sobre tecnologia, inovação, petróleo e gás. Atualizo diariamente sobre oportunidades no mercado brasileiro. Sugestão de pauta? Manda no brunotelesredator@gmail.com

Compartilhar em aplicativos