A economia brasileira gerou 173.139 vagas de emprego com carteira assinada em fevereiro deste ano, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

 

Trata-se do melhor resultado para meses de fevereiro desde 2014, quando foram criados 260.823  vagas de emprego formais. É o melhor saldo para esse mês em cinco anos. Resultado que sinaliza uma retomada consistente para 2019, avalia o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.

As 260.823 vagas de empregos, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta segunda-feira, 25, pelo Ministério da Economia é resultado de 1.453.284 contratações no período contra 1.280.145 demissões. O salário médio de admissão no mês passado foi de R$ 1.559, alta real (já descontada a inflação) de 0,06% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O salário de desligamento foi de R$ 1.718, redução real de 0,36% nessa base de comparação. “Esse número é uma demonstração de que as mudanças propostas para economia no governo Bolsonaro, que tratam de flexibilização, desburocratização e retirada de entraves, passam segurança para a economia real”, disse Rogério Marinho. O governo, contudo, tem enfrentado turbulências na articulação com o Congresso para a aprovação da reforma da Previdência, principal projeto na área econômica.

Atividades analisadas

Em fevereiro, 7 das 8 atividades analisadas pelo Caged registraram saldo positivo para criação de vagas de emprego. Os destaques são serviços, indústria de transformação e administração pública. A atividade de agropecuária, extração vegetal, caça e pesca, por outro lado, registrou fechamento líquido de 3.077 vagas.

Saldo por setor

  • Serviços: 112.412
  • Indústria de transformação: 33.472
  • Administração pública: 11.395
  • Construção civil: 11.097
  • Comércio: 5.990
  • Extrativa mineral: 985
  • Serviços industriais de utilidade pública: 865
  • Agropecuária, extração vegetal, caça e pesca: -3.077.

Saldo por Região

  • Sudeste: 101.649
  • Sul: 66.021
  • Centro-Oeste: 14.316
  • Norte: 3.594
  • Nordeste: -12.441.

 

 

No recorte geográfico, 4 regiões apresentaram saldo de emprego positivo em fevereiro. Apenas o Nordeste foi na direção contrária.

Do total de vagas  de emprego criadas, 7.750 (4,5%) foram por meio das modalidade de trabalho intermitente ou parcial. Em janeiro, foram registradas 8.299 admissões e 3.953 desligamentos no chamado trabalho intermitente. O saldo ficou em 4.346. No mesmo período do ano passado, o resultado havia sido de 2,1 mil empregos. Criada por meio da reforma trabalhista, a modalidade permite jornada em dias alternados ou por horas determinadas.

No primeiro bimestre do ano, houve criação liquida de 207,4 mil vagas de emprego, 68,4 mil a mais ante o mesmo período do ano passado, quando o resultado era positivo em 139 mil, de acordo com o ministério. Por outro lado, o Brasil iniciou o ano com alta na taxa de desemprego para o nível mais alto em cinco meses, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o secretário de Trabalho, Bruno Dalcolmo, é normal, estatísticamente, em momentos de retomada, o desemprego mostrado pela Pnad aumentar, uma vez que, segundo ele, um contingente antes classificado como inativo ou desalentado volta a ser contabilizados como “desempregado”, o que acaba elevando a taxa de desocupação. No dado mais recente da Pnad, referente ao trimestre até janeiro de 2019, o número de desalentados, ou a quantidade de trabalhadores que desistiram de procurar uma vaga, foi a 4,716 milhões, aumento em relação aos 4,706 milhões no trimestre até dezembro.

Falando nisso…Seis mil vagas de emprego e 1,3 mil vagas em cursos de qualificação são ofertadas no Mutirão do Emprego em SP

Sobre Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica com ênfase em Automação , Inglês avançado e experiência na indústria de construção naval no estaleiro Brasfels (KeppelFells). Conhecimento dos processos de KPI, planejamento de tubulação, comissionamento e construção de drilling rigs, FPSO’s e reparos.