Venezuela quer vender nióbio para a Rússia e Governo do Brasil entra em alerta

Flavia Marinho
por
-
07-09-2020 14:08:11
em Indústria e Construção Civil
extração ilegal nióbio na venezuela para russia, Brasil em alerta Venezuela quer vender nióbio para a Rússia e Governo do Brasil entra em alerta

A extração ilegal do nióbio pelo governo da Venezuela e a entrada da Rússia na jogada preocupa o Brasil, que tem o material estratégico para o desenvolvimento do país

Relatório militar alertou o Planalto sobre movimentações da Venezuela em querer explorar e vender nióbio à Russia e Governo do Brasil fica de alerta. Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração suspenderá temporariamente produção de nióbio. A reportagem é da Revista Veja do dia 23 de agosto, por Robison Bonin.

Confira outras notícias do setor

A extração ilegal do nióbio pelo governo da Venezuela e a entrada da Rússia na jogada preocupam os militares. A área militar lembra ao Planalto que os Estados Unidos definiram o Nióbio como material estratégico para o desenvolvimento do Brasil.

O metal é usado principalmente na produção de aços especiais e superligas e funciona como um “melhorador”: bastam 400 gramas por tonelada para produzir aços mais leves e resistentes.

A maior reserva de nióbio em operação do planeta, fica no Brasil na cidade de Araxá em Minas Gerais, que atualmente é produzido pela CBMM e exportado para mais de 50 países.

Produção recorde de nióbio em 2019 posiciona o Brasil como líder mundial em exploração do material

No Brasil, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração é portadora de mais de 90% das reservas de nióbio em atividades do mundo. Apesar de controlar 80% da oferta mundial, o Brasil não é o único país com reservas desse metal.

Segundo dados da Agência Nacional de Mineração (ANM), além do Brasil, os outros dois países que participam do mercado global são o Canadá e Austrália. De acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), existem 85 jazidas quantificadas no mundo, incluindo Canadá , Austrália, Rússia, Estados Unidos e diversos países da África.

Por várias vezes, nosso presidente Jair Bolsonaro depôs com orgulho sobre esse tão desejado mineral, que durante viagem feita ao Japão no meio do ano, exibiu em vídeo uma correntinha e talheres de nióbio. Apesar das propagandas feitas pelo nosso presidente estar ajudando o metal a ganhar fama, o mercado ainda é muito restrito.

A maior reserva de nióbio em operação do planeta, fica na cidade de Araxá, na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Só em Araxá, as reservas são estimadas em mais de 800 milhões de toneladas de minério, volume suficiente para garantir ainda mais de 100 anos de produção, mantida a atual demanda. Mas se forem considerados os depósitos minerários em rochas subterrâneas, a capacidade de exploração é estimada em mais de 400 anos.

Mas além das reservas de Araxá, há produção do material em Goiás e em pequenas quantidades no Amazonas e em Rondônia, além de reservas não exploradas em áreas indígenas.

Além da CBMM, os outros 2 produtores que atuam no mercado mundial, a canadense Niobec e chinesa CMOC, são responsáveis pela extração de nióbio na mina de Catalão (GO).

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.