Home > Sem categoria

Venezuela enfrenta problemas de petróleo apesar de ter grandes reservas

Paulo Nogueira
por
-
12-08-2018 23:29:56
em Sem categoria
maduro petroleo venezuela crise

Embora detenha as maiores reservas de petróleo do mundo, os níveis de produção fazem ela ficar no meio do bloco entre os membros produtores da OPEP.

Os planos venezuelanos para estabilizar a produção de petróleo bruto não são suficientes para enfrentar os gargalos e a escassez de investimentos, disse um analista na sexta-feira, segundo a UPI. Manuel Quevedo, chefe da Petróleos de Venezuela, ou PDVSA, anunciou que a produção de petróleo bruto se estabilizou após um declínio crônico e o país estava tentando acelerar o ritmo com a utilização de seus ativos maduros.

Apesar de suas vastas reservas, a corrupção e o isolamento internacional afetaram a produção de petróleo de um dos membros fundadores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo. Fontes secundárias reportando-se a economistas da Opep colocaram a produção venezuelana em 1,3 milhão de barris por dia em média no mês passado, uma queda de 38% em relação à média de 2016.

Adrian Lara, analista sênior de petróleo e gás da GlobalData, disse em comentários enviados à UPI por e-mail que a Venezuela tem problemas a serem construídos em questões, da produção real aos problemas das refinarias.

“Portanto, não apenas os desafios permanecem, mas eles se combinam em um caminho que pode prolongar e aumentar a taxa de declínio da produção de petróleo no Cinturão do Orinoco”, disse ele.

O Serviço Geológico dos EUA estima que o Cinturão do Orinoco contenha um volume médio de 513 bilhões de barris de reservas de petróleo tecnicamente recuperáveis. Uma revisão anual das reservas globais da empresa italiana de energia Eni colocou a Venezuela no topo da lista. Embora os Estados Unidos tenham sido o maior produtor no ano passado, suas reservas totais representavam cerca de 10% das da Venezuela.

Lara disse que o foco em ativos maduros pode ser uma boa estratégia para a Venezuela, mas isso exigiria investimentos significativos em um país que enfrenta profundas crises econômicas.

“Sem detalhes sobre a estratégia, é difícil avaliar como a PDVSA pode implementar um plano em que a perda de produção no cinturão do Orinoco possa ser compensada pela produção desses campos”, disse ele.

Em uma perspectiva sobre a América Latina, o Fundo Monetário Internacional observou que o produto interno bruto real para a Venezuela deve cair 18 por cento neste ano, o terceiro ano consecutivo para um declínio de dois dígitos na receita de petróleo foi de US $ 22 bilhões no ano passado. com cerca de US $ 70 bilhões em 2011. As exportações totais da Venezuela são 10% menores do que os níveis de 2016.

Expro contrata para serviços de completação de poços

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.