Schulmberger e Subsea 7 ganham contrato de engenharia offshore no pré-sal do campo de Bacalhau

Schulmberger e Subsea 7 ganham contrato de engenharia offshore no pré-sal do campo de Bacalhau

Parceria entre a Subsea 7 e a OneSubsea ganhou contrato exclusivo para projeto de engenharia offshore no pré-sal do campo de Bacalhau

Nesta quinta-feira, 30, a Equinor firmou contratos com a Schulmberger e a Subsea 7 de front-end de engenharia e design (FEED) com compromissos antecipados e pré-investimentos para a fase 1 da área de Bacalhau (antiga Carcará) no Brasil.  A gigante norueguesa abre processo seletivo para atender projetos offshore no Rio e Porto do Açu

Leia também

Em nota, Subsea7 informou que o trabalho premiado era necessário para finalizar a definição técnica do desenvolvimento proposto antes de Equinor tomar decisões finais de investimento (FID) no final de 2020.

De acordo com a empresa, o contrato é baseado em uma adjudicação em duas etapas. O FEED e o pré-investimento estão começando imediatamente, com uma opção para a fase de execução sob uma configuração “lump-sum turnkey” que inclui engenharia, aquisição, construção e instalação para todo o escopo do SURF e SPS.

O desenvolvimento incluirá 19 poços, aproximadamente 130 quilômetros de risers rígidos e linhas de fluxo e 35 quilômetros de umbilicais.

A Subsea Integration Alliance também  será responsável pela vida útil subseqüente do suporte de campo, representando um modelo de contrato totalmente integrado em todo o ciclo de vida do campo, desde a engenharia, o engajamento antecipado, até os serviços pós-venda.

A empresa acrescentou que o valor do contrato EPCI só seria reconhecido pela Subsea 7 em sua carteira de pedidos após o FID, e representará uma grande adjudicação de projeto, que a Subsea 7 define como um contrato de mais de US$ 750 milhões.

O gerenciamento e a engenharia do projeto serão realizados no Rio de Janeiro com o apoio do Global Project Centre da Subsea 7 no Reino Unido, França, e de vários escritórios da OneSubsea. As atividades de instalação offshore estão programadas para 2022 e 2023.

O campo de Bacalhau, anteriormente conhecido como Carcará, está localizado a 185 quilômetros da costa do Estado de São Paulo, em profundidades de 2050 metros e é o primeiro projeto integrado SPS e SURF do Brasil.

Stuart Fitzgerald, vice-CEO da Subsea Integration Alliance, disse: “O prêmio à Subsea Integration Alliance do contrato FEED para o projeto Bacalhau se baseia em nossa experiência no engajamento inicial e no histórico bem-sucedido de grandes projetos integrados.”

“Ele enfatiza a amplitude e a força do nosso portfólio de produtos, a qualidade dos ativos onshore e offshore e nossa ampla capacidade de gerenciamento de projetos e engenharia no Brasil e no mundo. Esperamos apoiar a Equinor neste e em futuros desenvolvimentos. ”

Marcelo Xavier, vice-presidente de negócios da Subsea 7 no Brasil, acrescentou: “Este contrato se baseia em nosso histórico bem-sucedido de soluções desenvolvidas para projetos em águas profundas no Brasil e demonstra nossa capacidade de maximizar o valor dos ativos por meio do engajamento precoce e de uma abordagem integrada”.

Os parceiros no campo de Bacalhau são a Equinor, a operadora com 40% de participação, enquanto os demais parceiros são a ExxonMobil com 40%, a Petrogal Brasil com 20% e a Pré-sal Petróleo SA como órgão governamental não investidor.

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Flavia Marinho

Sobre Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore offshore