MENU
Menu
Início Reajuste na conta de luz: aumento chega a 32% para determinado estado e consumidor. 9 distribuidoras foram autorizadas a reajustar o preço pela ANEEL

Reajuste na conta de luz: aumento chega a 32% para determinado estado e consumidor. 9 distribuidoras foram autorizadas a reajustar o preço pela ANEEL

6 de setembro de 2022 às 09:23
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Conta de luz, distribuidoras, Aneel
Foto: reprodução pixabay.com

De acordo com a autorização da Aneel, algumas distribuidoras farão o reajuste da conta de luz para mais, enquanto que outras farão para menos

A Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, autorizou nove distribuidoras do Brasil a promoverem alguns reajustes no preço da conta de luz. O aumento e a diminuição autorizadas pela Aneel chega a 32%, dependendo do tipo de consumidor, das distribuidoras e do estado em questão.

Somente duas distribuidoras deverão reduzir o preço cobrado dos clientes nas contas de luz: a Forcel, que atende entre 3,9 mil a 39,5 mil pessoas no estado do Paraná; e a Energia, com 1,5 milhões de consumidores na Paraíba. Mesmo nesses locais, a redução na conta de luz autorizada pela Aneel, não é generalizada.

Artigos recomendados

Nas outras localidades, os valores da conta de luz sobem entre 0,69% e 31,94% para os clientes de alta tensão, entre 0,34% e 20,13% para os de baixa tensão e entre 1,37% e 10,76% para os clientes de conta de luz residenciais.

Tabela de reajuste dos preços da conta de luz das distribuidoras, segundo a Aneel

Estado/Distribuidora/Reajuste médio/Alta tensão/Baixa tensão/Consumidor residencial

  • AL/Equatorial(EQTL3)/19,88%/19,24%/20,13%/19,86%
  • MA/ Equatorial (EQTL3)/ 1,62%/ 3,68%/ 1,23%/ 1,37%
  • PB/ Energisa (ENGI11)/ 1,03%/ 3,49%/ 0,34%/ -0,46%
  • PR/ Forcel/ -3,93%/ -12,04%/ 0,75%/           -0,27%
  • SC/ Celesc (CLSC4)/ 11,32%          / 16,81%/ 8,17%/ 7,66%
  • SC/ Cooperaliança/ 6,24%/ 3,46%/ 8,16%/ 7,38%
  • SC/ Decelt/ 8,79%/ 8,22%/ 9,09%/ 7,49%
  • SC/ EFLJC/ 5,54%/ 0,69%/ 7,26%/ 6,95%
  • SC/ EFLUL/ 20,32%/ 31,94%/ 8,64%           / 8,32%
  • SP e MS/ Elektro/ 15,77%/ 23,72%

Em agosto Aneel anunciou redução na conta de luz de todos os estados para este mês de setembro

Antes do anúncio do aumento nas contas de luz, a Aneel  havia declarado na sexta-feira, 26 de agosto, a aplicação da bandeira tarifária verde para a conta de luz no mês de setembro. A bandeira, sinalizaria condições favoráveis de geração de energia elétrica, será válida para todos os consumidores ligados ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

A bandeira tarifária verde, que implica uma redução na conta de luz, está em vigência pela Aneel desde o dia 16 de abril, após o fim da bandeira de Escassez Hídrica, patamar adotado no último ano para que fosse garantido o suprimento de energia elétrica. Também no mesmo dia, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), divulgou a previsão para o nível dos reservatórios dos subsistemas do SIN para setembro.

A estimativa é que o Sudeste e Centro-Oeste finalizem o mês com 48,5% do volume, Norte com 78,8%, Nordeste 67,3% e Sul 71,8%. Vale lembrar que no mês de junho a Aneel aprovou o aumento de até 60% nas cobranças adicionais por bandeiras, entretanto, em agosto, a entidade anunciou outro reajuste, dessa vez geral, nos preços da conta de luz em 7 estados.

Os valores serão ampliados em até quase 32% a depender da modalidade de fornecimento e do local. O novo reajuste impactará 9 distribuidoras, sendo que a maior alta será sentida pelos clientes de alta tensão da EFLUL, que terão um aumento de até 1,94% na conta de luz.

Já foi aprovado no Senado Federal o PL 414 de 2021, que altera o marco regulatório do setor elétrico e expande a abertura do mercado livre de energia, ampliando o poder de compra, para os consumidores cativos, que atualmente só podem obter energia elétrica de distribuidoras pré-definidas e sem opção de escolher.

Com a abertura do mercado, a expectativa é que haja uma redução na conta de luz para os consumidores. Um alívio para os brasileiros que viram o valor da energia disparar, com previsão de subir ainda mais este ano, de acordo com dados da Aneel.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR