1. Início
  2. / Petróleo e Gás
  3. / Raízen e Wärtsilä vão construir o primeiro navio com motor movido a etanol do mundo; pacto entre as gigantes vem para revolucionar o transporte marítimo e combater as emissões de gases de efeito estufa no planeta
Tempo de leitura 3 min de leitura Comentários 0 comentários

Raízen e Wärtsilä vão construir o primeiro navio com motor movido a etanol do mundo; pacto entre as gigantes vem para revolucionar o transporte marítimo e combater as emissões de gases de efeito estufa no planeta

Escrito por Flavia Marinho
Publicado em 30/10/2023 às 18:55
etanol - preço - combustível - motor - reaízen - Wärtsilä - navio - CO2 - efeito estufa
Testes de tecnologia com etanol Raízen como combustível primário estão sendo conduzidos nos laboratórios de motores Wärtsilä

Raízen e Wärtsilä prometem mudar o rumo da indústria: navio movido a etanol reduz em até 80% emissões de CO2 em uma rota padrão do Brasil para a Europa

Um novo pacto de descarbonização vem para mudar o rumo da indústria! Num esforço sem precedentes para combater as crescentes emissões de gases de efeito estufa (GEE) no transporte marítimo, Raízen – a maior produtora de etanol do mundo e a gigante fornecedora de equipamentos navais Wärtsilä, firmaram um acordo para explorar o potencial uso de etanol como combustível marítimo e avançar na construção do primeiro navio marítimo movido a etanol celulósico (E2G).

Essa parceria, conhecida como “Acordo de Descarbonização,” não apenas promete um futuro mais sustentável para o transporte em alto mar, mas também pode ter um impacto positivo na redução das emissões de carbono em nível global.

A importância deste projeto é inegável, uma vez que o transporte marítimo representa aproximadamente 3% das emissões globais de GEE. Para enfrentar essa crise, a Organização Marítima Internacional (OMI) estabeleceu metas ambiciosas para reduzir as emissões de carbono em 40% até 2030 e em 70% até 2050 em relação aos níveis de 2008. O uso de etanol em navios pode ser uma peça crucial do quebra-cabeça para atingir essas metas.

Testes de tecnologia com etanol como combustível primário estão sendo conduzidos nos laboratórios de motores Wärtsilä

O etanol, amplamente utilizado como biocombustível, emerge como uma opção promissora para impulsionar a descarbonização do transporte marítimo. Nos laboratórios de motores da Wärtsilä Sustainable Fuels, testes iniciais estão sendo conduzidos para avaliar o desempenho do etanol como combustível principal. Isso não apenas demonstra o compromisso da Raízen em inovar, mas também seu papel na criação de alternativas sustentáveis aos combustíveis fósseis.

Com o etanol como uma contribuição viável a um portfólio de soluções com baixas emissões de carbono, essa colaboração busca abrir o caminho para um transporte marítimo mais ecológico e sustentável.

Substituir o combustível fóssil em navios, promete reduzir emissões de CO2 em até 80% em uma rota padrão do Brasil para a Europa.

A revolução do etanol no transporte marítimo está em andamento. Resultados preliminares da Raízen mostram que ao substituir o combustível fóssil em navios, as emissões de CO2 podem ser reduzidas em até 80% em uma rota padrão do Brasil para a Europa. Isso é uma notícia encorajadora na busca por alternativas sustentáveis e com baixas emissões de carbono para a indústria do transporte marítimo.

O investimento da Wärtsilä em tecnologias de baixo e zero carbono é um passo significativo na direção certa. Este acordo com a Raízen não é apenas um exemplo de seu compromisso com a sustentabilidade, mas também um marco na evolução da indústria do transporte marítimo. À medida que avançamos em direção a um futuro mais limpo e sustentável, a combinação de etanol e tecnologia de ponta está provando ser uma dupla poderosa na luta contra as emissões de GEE.

Etanol pode se tornar o combustível do futuro, abrindo caminho para um transporte marítimo mais limpo e responsável.

A parceria entre a Raízen e a Wärtsilä promete revolucionar o setor de transporte marítimo, oferecendo uma alternativa promissora aos combustíveis fósseis. Com o compromisso de reduzir as emissões de carbono e apoiar as metas da IMO, essa aliança demonstra como a inovação e a busca por soluções sustentáveis podem moldar o futuro do transporte marítimo. O etanol, com seu potencial para reduzir significativamente as emissões de carbono, pode se tornar o combustível do futuro, abrindo caminho para um transporte marítimo mais limpo e responsável. Este é um marco importante na jornada em direção a um planeta mais verde e sustentável

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Flavia Marinho

Flavia Marinho é Engenheira de Produção pós-graduada em Engenharia Elétrica e Automação, com vasta experiência na indústria de construção naval onshore e offshore. Nos últimos anos, tem se dedicado a escrever artigos para sites de notícias nas áreas da indústria, petróleo e gás, energia, construção naval, geopolítica, empregos e cursos, com mais de 7 mil artigos publicados. Sua expertise técnica e habilidade de comunicação a tornam uma referência respeitada em seu campo. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x