Início Produção de aço bruto alavanca economia no Brasil com dados impressionantes: aumento da produção foi de 10% em março e vendas internas chegaram a 20,2% de alta em comparação a fevereiro

Produção de aço bruto alavanca economia no Brasil com dados impressionantes: aumento da produção foi de 10% em março e vendas internas chegaram a 20,2% de alta em comparação a fevereiro

9 de junho de 2022 às 11:38
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Produção de aço bruto alavanca economia no Brasil com dados impressionantes: aumento de produtividade foi de 10% em março e vendas internas chegaram a 20,2% de alta em comparação a fevereiro - Pixabay
Produção de aço bruto alavanca economia no Brasil com dados impressionantes: aumento de produtividade foi de 10% em março e vendas internas chegaram a 20,2% de alta em comparação a fevereiro – Pixabay

Dados revelam que o setor de aço está super aquecido e promete trazer novas vagas de emprego e retornos financeiros para a indústria a partir de 2022. Empresas se mostram positivas com a possibilidade de estar havendo uma recuperação do setor na pandemia, mesmo com as volatilidades provocadas pela guerra entre a Rússia e Ucrânia, que estouraram ao final de fevereiro.  

O Instituto do Aço Brasil anunciou que, até final do ano de 2020, estima-se que o crescimento na economia interna em relação a vendas e produção de aços deverá chegar a 2,5%. Essa expectativa de desenvolvimento é bastante semelhante aos dados já revelados por pesquisas realizadas pelo World Steel Association. Enquanto isso, o Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda) espera dados ainda mais positivos ao estimar que o aumento de produtividade do setor deve alcançar a faixa de 3% ao ano, o que pode automatizar o mercado e a economia do Brasil. 

Outro aspecto que mostra positividade é em relação ao aumento das vendas em 10% em março, e alta, em comparação ao mês de fevereiro, que foi de 20%. Números também revelados pelo gerente de marketing da Açovisa Giovani Marques da Costa mostram que, por causa da maior quantidade de aço no mercado interno, a queda será de 15% na importação ao mesmo tempo em que as exportações serão elevadas de forma exponencial em 2%. Isso vai contra as previsões da ANIP sobre o desenvolvimento da indústria, que teria previsto, em seu relatório, a estagnação do mercado com alta de apenas 1,2% ao ano. Esses dados se mostram esperançosos tendo em vista que a economia brasileira se estagnou em 4% durante a pandemia da Covid-19 em 2020.

Artigos recomendados

Alta dos metais mostra desespero para o setor de construção civil, mas ainda há uma luz ao final do túnel 

Fonte: Rossato

Em um ano, o ferro teve queda de ao menos 28% de seu valor enquanto o aço teve variação negativa de 33%. Apesar de um leve resfriamento no mercado de mineração, é importante salientar que a alta acumulada desde a pandemia ainda torna inviável a construção civil. Apesar disso, relatórios compartilhados pelo portal da Reuters mostram que a previsão é haver um aumento de produtividade para o ano de 2022,  que poderá fazer com que os preços voltem a cair em 2023, representando uma luz ao final do túnel. 

O lítio também está enfrentando um dos valores mais elevados já vistos por causa da decadência de produção  em 11% durante o ano passado, que  faz com que muitas indústrias, como a automobilística, fiquem estagnadas pela falta de matéria prima. Tanto que Elon Musk, bilionário e dono da Tesla, estaria investindo no Brasil apenas com intuito de conseguir fartura sobre o metal. 

A situação econômica voltada para o aço vem se mostrando cada vez mais intensiva, tendo em vista que houve um aumento de produção em ao menos 10,5% do mês de dezembro de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. Enquanto isso, a produção de aço bruto está se aproximando a 3 milhões de toneladas. As maiores taxas de crescimento e desenvolvimento estão voltadas para a região Sul, formada por Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Segundo a empresa  Açovisa, a sua unidade presente em Piracicaba, em São Paulo, teve crescimento de 50%. 

Durante esta quinta-feira, 09 de junho, a cotação da bobina de aço enfrentou 0,09% em queda,  o seu preço diário está em 1.150 dólares, sem tantas interferências do mercado internacional e da guerra acontecendo entre a Ucrânia e a Rússia. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes