Privatização da Eletrobras gera expectativa de R$ 16,2 bilhões ao Governo

privatização da Eletrobras

A privatização da Eletrobras foi anunciada em 2017, durante o governo Michel Temer, mas não foi adiante.

R$ 16,2 bilhões são as expectativas de arrecadação com a privatização da Eletrobras anunciadas pelo Governo. O valor  incluído na proposta de Orçamento do próximo ano, encaminhada ao Congresso Nacional nesta sexta-feira, 30, foi atualizado; antes, a receita prevista pelo governo era de R$ 12 bilhões.  As perspectivas são animadoras para os três leilões de petróleo e gás que serão feitos no segundo semestre. Para a 16ª rodada já há 12 empresas inscritas, entre grande porte e até mesmo empresas internacionais.

De acordo com o secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, “O PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual) contempla uma arrecadação de R$ 16,2 bilhões. Entendemos que é um processo factível para o ano de 2020, mas precisa de aprovação do Congresso”.

O valor será obtido por meio de uma capitalização. Com o lançamento das ações no mercado, a União abriria mão do controle da empresa, reduzindo sua participação de pouco mais de 60% para algo inferior a 50%.

Segundo o governo, não há pretensão de incluir no modelo de privatização da companhia a venda de subsidiárias.  A garantia foi dada nesta quarta-feira, 28, no Rio de Janeiro, pelo ministro de Minas e Energias, Bento Albuquerque, em um evento do setor elétrico e energético.

Recentemente, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, chegou a afirmar que existia a possiblidade de emissão de ações no âmbito da capitalização da Eletrobras a partir de fevereiro do ano que vem. Bento, porém, disse que o modelo apresentado ao Congresso já foi muito discutido e debatido pela sociedade, e não prevê a venda de subsidiárias como Furnas, Eletronorte e Eletrosul.

A privatização da Eletrobras foi anunciada em 2017, durante o governo Michel Temer, mas não foi adiante. A gestão Jair Bolsonaro retomou a proposta e se prepara para encaminhar ao Congresso Nacional um novo projeto de lei tratando do tema.

O projeto prevê a assinatura de novos contratos para hidrelétricas da Eletrobras que hoje operam sendo remuneradas com valores previamente definidos, sem lucro para empresa. Essas usinas passarão a ser pagas pela energia gerada a preços de mercado, com lucro para a companhia.

Rio de Janeiro prepara privatização da Cedae

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.
Avatar

Sobre Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.