1. Início
  2. / Energia Nuclear
  3. / Plant Vogtle: A usina nuclear de US$ 30,3 bilhões nos EUA que promete ser a fonte mais confiável de energia nuclear sem emissões de carbono do mundo
Tempo de leitura 4 min de leitura Comentários 0 comentários

Plant Vogtle: A usina nuclear de US$ 30,3 bilhões nos EUA que promete ser a fonte mais confiável de energia nuclear sem emissões de carbono do mundo

Escrito por Valdemar Medeiros
Publicado em 04/06/2024 às 10:01
Plant Vogtle A usina nuclear de $30,3 bilhões nos EUA que promete ser a fonte mais confiável de energia nuclear sem emissões de carbono do mundo
Foto: Plant Vogtle – a usina de energia nuclear revolucionária

O futuro da energia nuclear pode ter como modelo a usina de Plant Vogtle com o seu método inovador de produzir energia sem emissões de carbono.

Não é difícil notar que, ao nosso redor, está acontecendo uma grande evolução na produção de energia nuclear no mundo. Apesar do grande incidente em Chernobyl – o que “adormeceu” por um tempo a ideia de usinas nucleares – há novos projetos em andamento em várias partes do mundo, como nos Estados Unidos, por exemplo. A usina nuclear de Plant Vogtle, localizada na Georgia, EUA, se tornou o símbolo do ressurgimento da energia nuclear, sendo capaz de suprir as demandas da energia convencional, ou seja, a energia elétrica, além de suprir cidades com parques de turbinas eólicas ou até mesmo polos de energia solar.

Conheça a história da usina nuclear Plant Vogtle

A história da usina Plant Vogtle começa nos anos 70, quando a Georgia Power, uma grande empresa de serviços públicos de energia elétrica nuclear dos EUA, deu início ao planejamento do projeto de construção de usinas nucleares que pudessem atender a demanda de energia na região, que crescia cada dia mais.

Em 1971, o projeto da Georgia Power construiu as unidades 1 e 2, mas só em 1987 a unidade 1 entrou em operação comercial. Mais tarde, em 89, a unidade 2 finalmente entrou em funcionamento. Até ali, as usinas funcionavam perfeitamente, alcançando marcos importantes na geração de energia nuclear sem emissões de carbono.

Contudo, houve um declínio no progresso das novas usinas nucleares da Georgia Power, com a conclusão da usina Plant Vogtle. Além disso, vieram as questões regulatórias, crises financeiras e diversas preocupações, que levaram a usina Power a cessar parte de seus investimentos, estes que eram de grande importância para a construção de novas usinas de energia nuclear.

A consolidação da usina Plant Vogtle

Com o progresso da usina Plant Vogtle sendo interrompido e esquecido há mais de três décadas atrás, os EUA resgatam em meados de 2009 o projeto Vogtle, devido à crescente necessidade de avanço tecnológico na área energética e o aumento do interesse de grandes empresas na geração de energia nuclear sem emissões de carbono.

Ainda em 2009, com a retomada do projeto da usina Plant Vogtle, as unidades 3 e 4 tiveram suas obras iniciadas, marcando o retorno da geração de energia nuclear em Georgia. Durante a construção, mais de 14 mil pessoas, incluindo engenheiros, técnicos, construtores, operadores e outros profissionais estavam engajados no projeto.

Os reatores de energia nuclear foram importados da Coreia do Sul até o continente americano, por meio de embarcações e locomotivas. Eles foram montados com ligas de aço resistentes à radiação e a altas temperaturas, dentre outros materiais como tubos de resfriamento à prova de corrosão, tudo para garantir ao máximo a segurança da estrutura física da usina e de todos os colaboradores que atuariam nela.

Impacto da usina Plant Vogtle

Apesar do empenho na época, apenas a unidade 3 foi concluída, restando a unidade 4 como inacabada. A energia nuclear sem emissões de carbono de Vogtle é considerada 96% pronta até o momento. Estima-se que, quando a unidade 4 for concluída, a usina de Plant Vogtle se consolidará como uma das maiores usinas de energia nuclear dos EUA, com capacidade para gerar energia para as próximas décadas.

Mesmo com as obras da unidade 4 em andamento, o futuro da usina Plant Vogtle é cercado de incertezas, mas também de muitas expectativas. Apesar dos desafios enfrentados ao longo das obras, o projeto Vogtle mostra a capacidade de construir e operar uma usina de energia nuclear com muita precisão e segurança, dizimando a sensação de insegurança que existia no passado.

O CEO da Georgia Power, Chris Womack, disse que “quando você considera a história de operações seguras e confiáveis nas unidades Vogtle 1 e 2 há décadas, coloca o marco de hoje em perspectiva de que a Plant Vogtle será um local de quatro unidades, tornando-a a maior de seu tipo nos EUA”, e completou dizendo “isso é um momento verdadeiramente empolgante enquanto nos preparamos para colocar em operação uma nova unidade nuclear que servirá nosso estado com energia limpa e livre de emissões pelos próximos 60 a 80 anos”.

Futuro da retomada da energia nuclear nos EUA

O futuro da retomada de energia nuclear nos EUA irá depender de uma série de fatores e tendências que surgirão no setor energético no decorrer dos anos. Sem dúvidas, a finalização do projeto da usina Plant Vogtle ainda será marcado por inúmeros desafios, mas há a garantia de que a usina de energia nuclear sem emissões de carbono contribuirá positivamente para um futuro mais sustentável.

E em breve, a usina nuclear Plant Vogtle poderá vir a se tornar um modelo à ser seguido por vários países do mundo de como a energia nuclear pode ser uma solução eficaz, viável e segura para o futuro do setor energético.

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Valdemar Medeiros

Jornalista em formação, especialista na criação de conteúdos com foco em ações de SEO. Escreve sobre Indústria Automotiva, Energias Renováveis e Ciência e Tecnologia

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x