MENU
Menu
Início Petroleiros solicitam que Petrobras cancele edital de afretamento da plataforma FPSO na Bacia de Campos

Petroleiros solicitam que Petrobras cancele edital de afretamento da plataforma FPSO na Bacia de Campos

21 de agosto de 2023 às 15:29
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Os petroleiros da FUP e do Sindipetro-NF se uniram para solicitar o cancelamento do edital de afretamento do FPSO. A plataforma da Petrobras na Bacia de Campos se tornou discussão do mercado de combustíveis.
Fonte: Além da Superfície

Os petroleiros da FUP e do Sindipetro-NF se uniram para solicitar o cancelamento do edital de afretamento do FPSO. A plataforma da Petrobras na Bacia de Campos se tornou discussão do mercado de combustíveis.

Petroleiros da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) estão em conflito com a Petrobras desde a última sexta-feira, (18/08), devido a um edital de licitação para o afretamento de uma plataforma FPSO na Bacia de Campos. O principal ponto de discórdia é o conteúdo local exigido no edital, sendo de apenas 10%, causando preocupações sobre a negligência à indústria nacional por parte da petroleira estatal.

FUP e Sindipetro-NF solicitam cancelamento de edital de afretamento da Petrobras

A FUP e o Sindipetro-NF seguem nesta semana com seus conflitos junto à Petrobras.

Artigos recomendados

O foco do conflito é o edital de licitação para o afretamento de uma plataforma FPSO para o projeto de revitalização dos campos de Barracuda e Caratinga, na famosa Bacia de Campos, localizada no Rio de Janeiro.

Um dos principais pontos de discórdia é o baixo conteúdo local estabelecido no edital, fixado em meros 10%.

Os petroleiros argumentam que um percentual tão baixo e a isenção de multas em caso de não cumprimento desse índice equivalem, na prática, a um conteúdo zero.

Isso permitiria que os fornecedores ignorassem a indústria nacional e os trabalhadores brasileiros, algo que a FUP e o Sindipetro-NF consideram inaceitável no contexto do mercado atual.

Deyvid Bacelar, coordenador-geral da FUP, destaca que um dos compromissos do presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, é retomar a indústria naval no Brasil.

Bacelar critica a mentalidade ainda presente na empresa, que reflete parâmetros burocráticos do governo anterior.

Ele argumenta que é necessário fazer mudanças estruturais para que a indústria brasileira seja fortalecida, mas que os 10% fixados no edital da plataforma FPSO da Petrobras não contribuirão para isso.

O edital em questão define que a porcentagem mínima de Conteúdo Local esperado é de 10%. Surpreendentemente, o não cumprimento desse índice não resultará em multas ou sanções para a contratada.

Isso levanta questionamentos sobre a eficácia das políticas de incentivo à indústria local, causando um forte descontentamento por parte dos petroleiros da FUP e do Sindipetro-NF.

Petroleiros não aceitarão baixa taxa de conteúdo local fixada pela Petrobras em seu edital

A FUP e o Sindipetro-NF não pretendem aceitar a situação do afretamento da plataforma FPSO na Bacia de Campos sem antes disputar com a estatal.

Tezeu Bezerra, coordenador-geral do Sindipetro-NF, afirma que ambos os sindicatos estão determinados a mudar o cenário. A recusa em aceitar a licitação é clara, e a exigência é pelo cancelamento do edital.

“É crucial o cancelamento deste edital. Contratos devem ser firmados com base em regras de um conteúdo local que respeite a capacidade de encomendas à indústria local de construção naval”, afirmou.

Os petroleiros também destacam a importância de contratos firmados com base em regras que respeitem a capacidade da indústria local de construção naval.

Eles lembram do decreto presidencial que instituiu a Comissão Interministerial de Inovações e Aquisições, ressaltando que o conteúdo local é um instrumento vital para o desenvolvimento do setor industrial brasileiro.

A disputa entre os petroleiros e a Petrobras sobre o edital de afretamento de plataforma FPSO na Bacia de Campos destaca o embate em torno do conteúdo local e a retomada da indústria naval no Brasil.

O desfecho dessa batalha terá implicações significativas não apenas para os petroleiros, mas também para o desenvolvimento econômico do país.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR