Petrobras está contratando FPSO para atuar em projeto em águas profundas, na Bacia de Sergipe-Alagoas

Roberta Souza
por
-
15-07-2021 13:15:13
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras – FPSO – Bacia de Sergipe-Alagoas Plataforma na Bacia de Sergipe-Alagoas/ Fonte: Petrobras

O diretor de desenvolvimento da Petrobras diz que a estatal já lançou o processo de contratação do FPSO para instalar na Bacia de Sergipe-Alagoas

Na última terça-feira (13/07), o diretor de desenvolvimento da Petrobras, João Henrique Rittershaussen concedeu uma entrevista à epbr, falando sobre a contratação de um FPSO, para projeto de águas profundas na Bacia de Sergipe–Alagoas. O diretor ressalta que a Petrobras já lançou ao mercado um processo de concorrência para a contratação da plataforma e que as propostas deverão ser recebidas em 2022. Veja ainda: Por US$ 105 milhões, Petrobras realiza venda do Campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos, para a 3R Petroleum

Especificações do processo de licitação da Petrobras sobre o FPSO que será instalado na Bacia de Sergipe-Alagoas

Em entrevista, Rittershaussen afirmou que foi iniciada uma licitação para contratação pelo modelo Built Operate and Transfer (BOT), pelo qual a afretadora opera a plataforma por algum tempo e posteriormente a transfere para a Petrobras. O processo visa uma unidade do tipo FPSO.

João Henrique diz que o BOT do FPSO para o projeto de águas profundas na Bacia de Sergipe-Alagoas já está na rua e que as empresas já estão trabalhando no processo. Segundo ele, a Petrobras já deve receber proposta no ano que vem.

O modelo BOT é uma novidade para a Petrobras, embora a companhia tivesse antecipado em fevereiro deste ano que pretendia trabalhar com essa opção para as águas profundas da Bacia de Sergipe-Alagoas. Na entrevista, Rittershaussen ainda destacou que a Petrobras tem realizado um trabalho forte para a redução do tempo de implantação de plataformas, bem como para redução do tempo de construção e aumento da eficiência das unidades.

Contratações de sondas

O diretor da Petrobras afirmou que a empresa possui atualmente 22 sondas em operação, e que a carteira deve girar em torno de 20 a 25 sondas entre os anos de 2021 e 2025, conforme planejado pela companhia. Rittershaussen frisou que diversos contratos de sondas terminam até 2023, mas que a empresa tem realizado novas licitações.

João Henrique diz que tem alguma probabilidade de as sondas que já estão no Brasil ganharem essa licitação, por elas já estarem em operação, não terem custo de mobilização e não precisarem fazer grandes investimentos para continuar operando com a Petrobras.Ele afirmou ainda que o foco da Petrobras é no pré-sal, que recebe 70% do investimento da Petrobras e tem apresentado “produtividade excelente”, destacando que a companhia não tem perspectiva de realizar perfuração de poços novos em lâminas de água rasa.

Confira ainda: Petrobras vende campo terrestre de Rabo Branco, na Bacia de Sergipe-Alagoas

A Petrobras formalizou a venda de sua participação no campo petrolífero terrestre Rabo Branco, na Bacia de Sergipe-Alagoas, localizada no Estado de Sergipe. O valor da venda foi de US$ 1,5 milhão, que será pago à vista no momento da assinatura do contrato. A estatal brasileira e a operadora Petrom1 possuem 50% cada do campo de petróleo de Rabo Branco.

Segundo a Petrobras, essa operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e ao aprimoramento da alocação de capital da empresa, que passou a focar cada vez mais recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe