Menu
Início Lula e Maduro defendem a retomada da compra de energia da Venezuela para Roraima; usina do país vizinho tem histórico de apagões por falta de investimentos em infraestrutura

Lula e Maduro defendem a retomada da compra de energia da Venezuela para Roraima; usina do país vizinho tem histórico de apagões por falta de investimentos em infraestrutura

12 de junho de 2023 às 07:15
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
venezuela - lulla - energia - usina -
Lula. e Nicolas Maduro negociam energia como pagamento de divida do país vizinho – imagem Bloomberg

O histórico de apagões na Venezuela e a falta de investimentos em infraestrutura energética levaram à interrupção do fornecimento para Roraima

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, manifestaram apoio à retomada da compra de energia da Venezuela pelo Brasil para abastecer o estado de Roraima. Além de buscar a integração energética, também há discussões sobre a possibilidade de utilizar essa exportação de energia como forma de abater a dívida da Venezuela com o Brasil. Porém, a compra de energia da usina hidrelétrica de Guri, na Venezuela, para o abastecimento de Roraima tem sido um assunto controverso no cenário energético brasileiro.

Soberania Energética e Segurança Nacional

Durante um encontro entre Lula e Maduro, o presidente brasileiro defendeu veementemente a recuperação da relação energética entre os dois países. Lula destacou a importância de colocar em funcionamento o linhão de Guri, que conectaria Roraima à rede energética nacional, evitando a dependência exclusiva de termelétricas. Essa iniciativa visa garantir o abastecimento de energia elétrica de forma mais eficiente e sustentável para o estado.

Artigos recomendados

Apesar do argumento de que a energia proveniente de Guri é mais barata, devemos analisar o custo a longo prazo. Roraima, ao depender das usinas térmicas movidas a óleo combustível e gás natural, enfrenta um cenário de preços exorbitantes, que chegam a R$ 1.100 por megawatt-hora. No entanto, sacrificar a segurança energética e depender de uma nação vizinha problemática não parece ser a solução ideal.

A possibilidade de retomar o diálogo com Caracas em relação à energia de Guri levanta sérias preocupações. Nos últimos anos, o governo brasileiro manteve uma postura distante do regime de Nicolás Maduro, e com razão. O histórico de apagões na Venezuela e a falta de investimentos em infraestrutura energética levaram à interrupção do fornecimento para Roraima. Será sensato confiar novamente em um país instável politicamente?

Ao depender da energia venezuelana, corremos o risco de comprometer nossa soberania energética e segurança nacional.

Em vez de buscar soluções duvidosas no exterior, por que não investir em fontes de energia renovável e sustentável dentro do Brasil? Roraima possui um grande potencial para energia solar e eólica, que poderiam impulsionar o desenvolvimento regional e reduzir os impactos ambientais. Ao invés de gastar bilhões em subsídios para compensar o alto custo do óleo combustível, deveríamos direcionar esses recursos para o desenvolvimento de infraestrutura e incentivos para energias limpas.

Em momentos de instabilidade política ou conflitos, como o que a Venezuela enfrenta atualmente, poderíamos ficar reféns de uma fonte de energia incerta e potencialmente volátil. É fundamental buscar soluções internas que garantam a autonomia do Brasil em relação ao fornecimento de energia, protegendo nossos interesses e minimizando os riscos envolvidos.

Desafios e controvérsias: uma oportunidade que só beneficia a Venezuela

Para Nicolás Maduro, a conexão energética com o Brasil através de Roraima é um ponto que desperta interesse, haja visto que é uma oportunidade de abater a dívida venezuelana com o Brasil. Essa estratégia poderia ser vantajosa para ambos os países, infelizmente só beneficia o país vizinho, permitindo a quitação de débitos.

No entanto, é necessário estabelecer acordos claros e garantir que os benefícios sejam equilibrados, considerando os desafios e controvérsias envolvidos nessa proposta, uma vez que a crise política e econômica enfrentada pela Venezuela levanta questionamentos sobre a confiabilidade e estabilidade do fornecimento de energia. Além disso, há preocupações relacionadas à questão ambiental, já que a energia proveniente de Guri é de origem hidrelétrica. É fundamental o Governo brasileiro avaliar cuidadosamente esses aspectos antes de prosseguir com a retomada da compra de energia.

A retomada da compra de energia de Guri, na Venezuela para abastecer Roraima, é um assunto complexo que exige uma análise criteriosa dos riscos e oportunidades envolvidos. Embora existam argumentos econômicos a favor dessa parceria, o Governo brasileiro não pode ignorar os desafios políticos, ambientais e de segurança que podem surgir.

Ao invés disso, agora é hora de explorar alternativas internas, investindo em fontes de energia renovável, garantindo assim a soberania energética do Brasil e contribuindo para um futuro mais sustentável.


Você quer receber apenas notícias e vagas de emprego do seu interesse? A solução chegou através do app CPG VAGAS E NOTÍCIAS! Se você é pintor, vai receber no seu celular apenas oportunidades neste cargo. E será assim com pedreiro, técnico, engenheiro e etc..... Não perca nada do que acontece no mercado de trabalho e econômico do Brasil, baixe agora o app CPG VAGAS E NOTÍCIAS, disponível para Android e IOS!

APP CPG VAGAS E NOTÍCIAS

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
BANNER POPUP CPG VAGAS E NOTICIAS 2 Fechar