1. Início
  2. / Indústria
  3. / O que acontece quando os tubarões nadam muito perto dos marinheiros de porta-aviões e navios dos Estados Unidos
Tempo de leitura 3 min de leitura Comentários 0 comentários

O que acontece quando os tubarões nadam muito perto dos marinheiros de porta-aviões e navios dos Estados Unidos

Escrito por Bruno Teles
Publicado em 16/06/2024 às 14:02
O que acontece quando os tubarões nadam muito perto dos marinheiros de porta-aviões e navios dos Estados Unidos
Descubra como os marinheiros dos Estados Unidos lidam com tubarões nadando perto de seus porta-aviões e navios. Imagem: Defesa Náutica/Divulgação

Descubra como os marinheiros dos Estados Unidos lidam com tubarões nadando perto de seus porta-aviões e navios.

Os marinheiros dos Estados Unidos passam a maior parte do tempo no mar a bordo de navios. Porém, há momentos em que entrar na água é necessário, seja para treinar para emergências ou simplesmente para relaxar. Nessas ocasiões, a Marinha dos Estados Unidos toma várias medidas para garantir a segurança dos marinheiros, especialmente contra tubarões.

Durante as missões, as forças navais dos Estados Unidos às vezes têm a oportunidade de nadar no oceano, um evento conhecido como “swim call”. Esses momentos de natação são revigorantes e permitem que os marinheiros se exercitem. Em agosto de 2022, por exemplo, o porta-aviões USS Harry S. Truman, ancorado no Mar Mediterrâneo, se transformou em um parque aquático improvisado, com marinheiros pulando e nadando na água morna.

No entanto, permitir que os marinheiros nadem no mar também traz riscos

Se um tubarão se aproximar, a segurança e as operações do navio podem estar em perigo. Para evitar problemas, alguns marinheiros atuam como vigias e salva-vidas durante esses mergulhos. Esses vigias são armados com armas para disparar na água caso um tubarão grande seja avistado.

Em 2020, membros da Guarda Costeira dos Estados Unidos, que estavam nadando no Pacífico, tiveram um encontro muito próximo com um tubarão de seis a oito pés de comprimento. Um especialista em fiscalização marítima, que estava de guarda, disparou tiros na água, distraindo o tubarão e permitindo que os nadadores saíssem com segurança. Felizmente, o tubarão não foi ferido e nadou para longe.

Se um ataque de tubarão ocorresse e uma pessoa fosse gravemente ferida, um helicóptero de evacuação médica (Medevac) poderia ser chamado para levá-la rapidamente a um hospital

Em 2018, a Guarda Costeira em San Francisco conseguiu levantar um homem mordido por um tubarão de um barco em movimento para um helicóptero em voo, transportando-o para o Centro Médico da Universidade de Stanford para tratamento.

A Guarda Costeira dos Estados Unidos realiza treinamentos rigorosos para preparar seus membros para resgates em emergências, como mordidas de tubarão, operações de busca e resgate e desastres naturais. Em exercícios como o Cascadia Rising, a tripulação pratica evacuações médicas simulando cenários de terremotos e tsunamis, garantindo que estejam prontos para qualquer situação.

Os marinheiros dos porta-aviões e navios dos Estados Unidos enfrentam muitos desafios ao entrar no mar, incluindo o risco de encontros com tubarões. Com vigilância constante e treinamento rigoroso, a Marinha dos Estados Unidos garante que seus marinheiros possam nadar com segurança e enfrentar qualquer emergência que surja. Essas medidas de segurança mostram o compromisso da Marinha em proteger seus membros enquanto operam nas vastas e imprevisíveis águas dos oceanos.

Inscreva-se
Notificar de
guest
❗❗❗Faça login para poder postar links, fotos, conectar com pessoas e muito mais. Seu perfil pode ser visto por mais de 1 milhão de usuários todos os dias😉
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Bruno Teles

Falo sobre tecnologia, inovação, petróleo e gás. Atualizo diariamente sobre oportunidades no mercado brasileiro. Sugestão de pauta? Manda no brunotelesredator@gmail.com

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x