MENU
Menu
Início Multinacional transforma desperdício em energia térmica em sua fábrica em Minas Gerais. Será a primeira instalação do estado a ter energia térmica com base em biogás

Multinacional transforma desperdício em energia térmica em sua fábrica em Minas Gerais. Será a primeira instalação do estado a ter energia térmica com base em biogás

9 de junho de 2023 às 10:46
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
energia, energia térmica, minas gerais, biogás
Reprodução. Fonte: G1

A iniciativa de utilização de energia térmica a partir do biogás é da Unilever, que adotou a medida na sua fábrica de Minas Gerais em comemoração ao dia do Meio Ambiente

Em celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a multinacional de produtos alimentícios Unilever anunciou que implementará energia térmica limpa em sua fábrica em Pouso Alegre, Minas Gerais. Com essa medida, a unidade se tornará pioneira no estado ao utilizar energia térmica proveniente de biogás, de acordo com o G1.

A medida representa um compromisso da Unilever com a sustentabilidade e a redução de sua pegada ambiental. A fábrica de Minas Gerais passará a utilizar biogás como fonte de energia térmica, contribuindo para a diminuição das emissões de gases de efeito estufa e para a transição para um modelo energético mais limpo.

Artigos recomendados

Como o biogás é obtido?

O biogás é obtido a partir da decomposição de resíduos orgânicos, como restos de alimentos e resíduos industriais, por meio de processos de biodigestão anaeróbica. Esse gás é uma fonte de energia renovável e de baixo impacto ambiental, pois utiliza materiais que, de outra forma, seriam descartados. A utilização dessa forma de energia térmica na fábrica de Minas Gerais permite à Unilever reduzir sua dependência de combustíveis fósseis e contribuir para a mitigação das mudanças climáticas.

O processo de biodigestão na fábrica de Minas Gerais funcionará de forma contínua, operando durante os 365 dias do ano. Essa abordagem permitirá que a Unilever maximize a eficiência na produção de biogás, contribuindo para a redução do consumo de energia convencional e das emissões de gases de efeito estufa.

A representante da empresa explicou que o processo de biodigestão realizado na fábrica de Minas Gerais é semelhante a uma compostagem caseira, porém em uma escala maior. Esse método utiliza microrganismos para decompor os resíduos orgânicos e produzir biogás como resultado do processo de fermentação. O biogás gerado é então utilizado como fonte de energia térmica, substituindo combustíveis fósseis e contribuindo para a redução da pegada de carbono da fábrica.

Economia Verde

Iniciativas como a adoção de geração de energia a partir de resíduos, por meio do biogás, pela Unilever em Minas Gerais estão alinhadas a um movimento cada vez mais adotado pelas empresas em busca de uma economia mais “verde” e sustentável. O conceito por trás dessa abordagem é a economia circular.

Segundo o professor Rafael Farinassi, do Departamento de Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Lavras (Ufla), a economia circular busca romper com o modelo tradicional de produção linear, no qual os recursos são extraídos, transformados em produtos e, em seguida, descartados como resíduos. Em contrapartida, a economia circular propõe a utilização eficiente dos recursos, promovendo a reutilização, a reciclagem e a recuperação de materiais.

Nesse contexto, a geração de energia a partir de resíduos, energia térmica, se destaca como uma prática que contribui para o fechamento do ciclo de materiais, evitando que os resíduos orgânicos sejam simplesmente descartados. Ao utilizar esses resíduos como fonte de energia, empresas como a Unilever, implantando em Minas Gerais, estão inserindo-os novamente na cadeia produtiva, transformando-os em recursos valiosos.

Essa abordagem traz benefícios tanto ambientais quanto econômicos. Ao evitar o desperdício de recursos e a geração de resíduos, as empresas reduzem sua pegada ambiental e diminuem a dependência de recursos naturais finitos. Além disso, a economia circular estimula a inovação e a criação de novos modelos de negócios sustentáveis, gerando oportunidades econômicas e empregos verdes.

Prática da economia verde e a ONU

A prática da economia circular, por meio da energia térmica, também está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), como o ODS 12 – Consumo e Produção Sustentáveis. Ao adotar essa abordagem, as empresas contribuem para o alcance desses objetivos, promovendo a sustentabilidade em suas operações e impactando positivamente a sociedade e o meio ambiente.

Portanto, iniciativas como a geração de energia a partir de resíduos pela Unilever em Minas Gerais representam um passo importante na transição para uma economia mais circular e sustentável. Essas práticas refletem a conscientização crescente das empresas sobre a necessidade de adotar modelos de negócios que promovam a preservação dos recursos naturais e o desenvolvimento sustentável.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR