MENU
Menu
Início Mirando na eletrificação gradual do setor de transportes mundial, Stellantis investe em veículos híbridos com motor movido a etanol para sua nova aposta no mercado global

Mirando na eletrificação gradual do setor de transportes mundial, Stellantis investe em veículos híbridos com motor movido a etanol para sua nova aposta no mercado global

4 de abril de 2023 às 17:03
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
A companhia investirá mais de 30 bilhões de euros até 2025 na eletrificação do setor de transportes. O projeto de veículos híbridos com motor movido a etanol da Stellantis garantirá ainda mais eficiência no mercado global.
Foto: Divulgação

A companhia investirá mais de 30 bilhões de euros até 2025 na eletrificação do setor de transportes. O projeto de veículos híbridos com motor movido a etanol da Stellantis garantirá ainda mais eficiência no mercado global.

De olho nas novas tendências do mercado de transportes global, a Stellantis prepara para investimentos de 30 bilhões na eletrificação do segmento. O principal foco da empresa serão os veículos híbridos com motor movido a etanol para o mercado global. A empresa está com uma meta audaciosa de eletrificação de até 20% para o ano de 2030, mirando nas mudanças do segmento de transportes para os próximos anos.

Stellantis investirá 30 bilhões de euros até 2025 na eletrificação dos veículos híbridos com motor movido a etanol para impulsionar segmento

A indústria automotiva global está caminhando para uma ampla eletrificação dos veículos híbridos. A China e a Europa são os principais mercados onde as montadoras estão investindo para cumprir as metas de emissões de carbono e redução da poluição.

Artigos recomendados

No Brasil, os planos ainda são tímidos, mas a Stellantis, grupo que reúne Citroën, Fiat, Jeep, Peugeot, RAM, entre outras marcas, acaba de anunciar uma estratégia para eletrificar sua linha de produtos até 2030, com foco no motor movido a etanol.

Segundo o presidente da Stellantis na América do Sul, Antonio Filosa, a meta de eletrificação para o Brasil será de 20% da linha de produtos até 2030, e a montadora pretende zerar as emissões até 2050.

Para alcançar essas metas, a Stellantis investirá 30 bilhões de euros até 2025 em eletrificação e desenvolvimento de softwares e soluções em veículos híbridos.

A Stellantis planeja lançar um novo conjunto mecânico eletrificado com base na plataforma GSE, que é global e “nasceu preparada para a hibridação”.

Os novos modelos serão Mild Hybrid (MHEV), ou seja, híbridos leves com sistema de 48V combinado ao motor a combustão.

Haverá também o Full Hybrid (HEV), como no Toyota Corolla sedã, que une bateria e motores elétrico e a combustão.

Mas o sistema Plug-In Hybrid (PHEV) será o principal foco da Stellantis. Por fim, a montadora vê os veículos elétricos a bateria (BEV) com menor volume e foco no segmento premium do mercado global.

Motor movido a etanol será o principal foco da Stellantis em seu projeto de carros híbridos para o mercado global

Em todos os cenários, a base é o uso do etanol como fonte de energia. Ou seja, o motor a combustão será a etanol (o que pode dispensar o sistema flex no futuro), ao passo que existe também um plano de produzir células de combustível a etanol para abastecer os carros elétricos a hidrogênio.

A Stellantis planeja eletrificar até 50% dos produtos à venda nos Estados Unidos dentro do mesmo prazo que projeta ter 20% de eletrificação no Brasil.

Mas o diferencial do plano da empresa está na grande localização de tecnologias. Ou seja, cada mercado poderá aplicar soluções e tecnologias locais, as quais são mais baratas que soluções importadas, para alcançar a meta de eletrificação e de corte nas emissões de carbono.

O Brasil, que é o maior mercado da América do Sul, vai desenvolver o Projeto Bio-Electro com veículos híbridos que usam bateria aliada ao motor a combustão alimentado com etanol, uma opção que dispensa o atual motor flex.

A Stellantis acredita que o melhor caminho para o Brasil é o uso do motor de etanol, já consolidado no país, e pretende associá-lo à eletrificação dos veículos híbridos.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR