MENU
Menu
Início McKinsey, firma global de consultoria, aponta que demanda por combustíveis sustentáveis deve triplicar até 2050, impulsionada pela descarbonização dos transportes

McKinsey, firma global de consultoria, aponta que demanda por combustíveis sustentáveis deve triplicar até 2050, impulsionada pela descarbonização dos transportes

25 de julho de 2022 às 12:25
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
A consultoria McKinsey realizou uma pesquisa em relação ao consumo de combustíveis sustentáveis até o ano de 2050 e apontou que a demanda deve triplicar nesse período, em razão da necessidade da descarbonização no setor de transportes.
Foto: iStock

A consultoria McKinsey realizou uma pesquisa em relação ao consumo de combustíveis sustentáveis até o ano de 2050 e apontou que a demanda deve triplicar nesse período, em razão da necessidade da descarbonização no setor de transportes.

Após a divulgação dos resultados do seu estudo acerca do consumo de combustíveis sustentáveis até o ano de 2050, a consultoria McKinsey está, nessa segunda-feira, (25/07), com uma projeção positiva para os próximos anos. Isso, pois os dados mostram que, em razão da necessidade da descarbonização do setor de transportes, principalmente no ramo rodoviário, a demanda por esse tipo de recurso pode chegar a triplicar até o fim do ano de 2050, com destaque para diesel verde (HVO), ​​bioetanol e combustíveis sintéticos.

Consultoria McKinsey realiza pesquisa acerca do consumo de combustíveis sustentáveis nos próximos anos e projeta forte aumento na demanda pelos recursos

A consultoria McKinsey está focando seus estudos nas projeções futuras para a utilização de combustíveis sustentáveis pelo setor de transportes e lançou um relatório com os dados previstos para o ano de 2050. Os dados apontam que o crescimento na parcela de combustíveis sustentáveis ​​na demanda de energia do transporte pode chegar a 7% e 37%, dependendo dos níveis de ambição climática entre os países.

Artigos recomendados

Dessa forma, a demanda pelos combustíveis sustentáveis pode chegar a triplicar até o fim do ano de 2050, principalmente em razão do forte debate sobre a utilização desses recursos na busca pela descarbonização do setor de transportes, com foco na aviação, um dos mais difíceis de descarbonizar.

Além disso, a McKinsey projeta que os grandes destaques na utilização pelo setor de transportes serão o  diesel verde (HVO), ​​bioetanol e combustíveis sintéticos (que não usam biomassa), os quais garantem um potencial energético maior para esse setor. 

Ademais, o estudo da consultoria também realizou projeções de médio prazo, focando no ano de 2035, e apontou que o crescimento da demanda por combustíveis sustentáveis será impulsionado principalmente pelo setor rodoviário até esse período.

A McKinsey está projetando um crescimento ao ponto de atingir 290 milhões de toneladas no cenário mais ambicioso, enquanto a aviação virá logo atrás, crescendo cada vez mais nesse setor da descarbonização. Assim, os países podem começar a articular novas atrações de investimentos para a adoção desses recursos utilizando o relatório da companhia. 

Combustíveis sustentáveis contribuirão positivamente a curto prazo para a redução das emissões de gases poluentes no setor de transportes em todo o mundo 

Além de analisar o cenário futuro para o ano de 2050 e um cenário a médio prazo em 2035, a consultoria McKinsey também apontou que os combustíveis sustentáveis serão essenciais para contribuir a curto prazo com os planos de sustentabilidade dos países.

Isso, pois, eles ajudarão os países a cumprir suas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE), enquanto o setor de eletrificação dos transportes precisará de alguns anos a mais para se consolidar. 

“Mesmo em um mundo com rápida absorção de veículos elétricos — onde eles representam cerca de 75% do total de vendas de veículos até 2030 — atingir as metas regulatórias de redução de GEE para transporte pode exigir uma contribuição significativa de combustíveis sustentáveis. Antes que a eletrificação seja concluída, o cumprimento das metas de redução de GEE na maioria dos países exigirá o uso de combustíveis sustentáveis ​​(tanto de base biológica quanto sintéticos) diretamente nas frotas existentes”, afirma o estudo da McKinsey.

Isso, pois o setor de eletrificação básica de veículos de transportes leves, como carros e caminhões menores, já está bastante consolidado em todo o cenário mundial, mas ainda há um longo caminho a percorrer quanto aos veículos de grande porte, como caminhões maiores e ônibus.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR