MENU
Menu
Início Japão anuncia que transmitirá energia solar do espaço para a Terra já no próximo ano

Japão anuncia que transmitirá energia solar do espaço para a Terra já no próximo ano

24 de abril de 2024 às 10:40
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Japão pretende começar a transmitir energia solar do espaço para a Terra já no próximo ano e superar EUA, China e Brasil
Foto: Canaltech/Reprodução

Japão planeja transmitir energia solar do espaço para a Terra. Apelidada de ‘energia solar wireless’, a tecnologia será testada já no próximo ano sob altitude de 400 km.

O Japão avança para transmitir energia solar do espaço para a Terra já em 2025. A expectativa é que o país instale na órbita baixa da Terra um satélite que servirá como uma espécie de mini usina de energia solar. Desta forma, segundo os cientistas, a “energia solar wireless” será transmitida sem fio para o nosso planeta.

Entenda como é possível transmitir energia solar do espaço

Segundo Koichi Ijichi, consultor do instituto de pesquisa Japan Space Systems, em entrevista, será um pequeno satélite, com cerca de 180 kg, que transmitirá cerca de 1 quilowatt de potência a partir de uma altitude de 400 km.

Artigos recomendados

A novidade da ‘energia solar wireless’ foi apresentada na Conferência Internacional sobre Energia do Espaço, realizada na última semana em Londres, no Reino Unido. Um quilowatt é aproximadamente a energia necessária para operar um eletrodoméstico por 1 hora, como uma máquina de lavar, por exemplo.

A ideia do Japão de transmitir energia solar do espaço é que as placas possam receber exposição do sol de forma ininterrupta enquanto estão em órbita. A técnica é mais vantajosa porque os painéis podem operar 24 horas por dia no espaço, enquanto aqui na Terra as usinas solares ficam ociosas durante à noite, quando não há luz solar.

Desta forma, os painéis captam a luz do sol e a transformam em feixes de micro-ondas. Em seguida, o satélite transmite o feixe pelo ar para uma estação receptora na superfície do planeta. Lá, podem transformar a energia solar recebida em eletricidade.

Projeto de ‘energia solar wireless’ não chegará ao mercado tão cedo

O satélite terá um painel fotovoltaico de 2 metros quadrados para carregar a bateria e a energia acumulada será enviada para uma antena receptora em forma de micro-ondas, como citado anteriormente. Como o satélite viaja em alta velocidade, a antena precisa ser grande o suficiente para receber a energia solar wireless, algo em torno de 40 km de extensão e 5 km de largura.

O satélite do Japão faz parte de um projeto chamado OHISAMA, que significa “sol” em japonês. O projeto deve ser lançado já no próximo ano, mas, pela potência gerada, não deve se tornar comercial tão cedo. Testes de transmissão de energia sem fio já devem acontecer em dezembro deste ano, em proporções menores.

Vale mencionar que essa não é a primeira vez que um projeto de geração de energia solar se instalará no espaço. O primeiro registro disso foi em 1968, durante a missão Apollo. Contudo, na época, a técnica foi considerada impraticável por ser muito cara e demandar estruturas muito grandes.

Iniciativa do Japão já foi realizada anteriormente

A tecnologia do Japão para transmitir energia solar do espaço não é uma novidade. No último ano, pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos EUA, conseguiram, pela 1ª vez, transmitir energia solar do espaço para a Terra sem o uso de fios.

A transmissão de energia ocorreu por meio do sistema Microwave Array for Power-transfer Low-orbit Experiment (MAPLE). O mecanismo direcionou micro-ondas no espaço para um receptor no telhado do campus da universidade em Pasadena.

Além disso, em setembro, a empresa chinesa LONGi Green Energy, a maior de energia solar do mundo, lançou um projeto para instalar painéis solares no espaço. O objetivo era testar se é possível gerar energia para a Terra. Se funcionarem, painéis solares no espaço resolveriam a crescente escassez de energia na China. No passado, o país passou por uma série de apagões e fábricas precisaram cortar a produção devido a uma crise no setor.

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x