MENU
Menu
Início Gerar eletricidade com água encanada agora é possível! Essa tecnologia inovadora existe e já está disponível no Brasil

Gerar eletricidade com água encanada agora é possível! Essa tecnologia inovadora existe e já está disponível no Brasil

14 de abril de 2024 às 14:16
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Gerar eletricidade com água encanada agora é possível! Essa tecnologia inovadora existe e já está disponível no Brasil.
Foto: Esquema de geração de energia /Lucid Energy

Empresa desenvolve tecnologia surpreendente capaz de gerar eletricidade com água encanada para cidades inteiras. Conheça o novo método da Lucid Energy.

Atualmente, o acesso à água é tão simples quanto abrir uma torneira. No entanto, para que a água chegue às nossas residências, ela precisa passar por bombas e extensas redes de tubulação, processos que consomem uma quantidade significativa de energia, além do tratamento necessário. A boa notícia é que uma empresa desenvolveu uma tecnologia inovadora capaz de gerar eletricidade a partir da água encanada.

Entenda como funciona essa tecnologia inovadora de geração de eletricidade

Com a escassez dos métodos de geração de energia não renováveis, as empresas e cidades têm que aderir a soluções ecologicamente corretas. A cidade de Portland, no estado norte-americano do Oregon, por exemplo, desenvolveu uma solução muito criativa: gerar eletricidade com água encanada.

Artigos recomendados

Essa tecnologia foi desenvolvida em parceria com a LucidEnergy, uma empresa especializada em gerar energia elétrica a partir de tubulações de água. O sistema atua com pequenas turbinas instaladas nos canos, que giram devido ao fluxo d’água e enviam essa eletricidade para um gerador, que é direcionado à rede elétrica da cidade. Apesar de não parecer uma tecnologia tão inovadora assim, a impressão passa a ser outra com alguns dados.

A estimativa é que 6% de toda a energia dos Estados Unidos seja usada apenas para o tratamento d’água, sendo que na Califórnia esse número sobe para 20%. Companhias de saneamento básico que filtram e purificam água, por exemplo, podem usar os tubos da LucidEnergy para reduzir o custo de produção da água limpa.

Indústrias que utilizam alto volume de água para processar ou resfriar máquinas, como fábricas de alumínio, termelétricas e até datacenters, podem instalar este tipo de tubo para reduzir os gastos. Além disso, empresas de irrigação ou de transmissão e distribuição de água podem aproveitar o método para vender eletricidade para a cidade, por exemplo. Todos saem ganhando.

Empresa utiliza nova tecnologia em outras iniciativas

Outro projeto da LucidEnergy que gera eletricidade com água encanada, feito na cidade de Riverside, na Califórnia, utiliza a tubulação para alimentar os postes de luz e outros pontos de iluminação na cidade. Durante o dia, quando os preços da eletricidade sobem, eles podem reaproveitar essa energia para reduzir os custos operacionais da cidade.

Segundo Gregg Semler, presidente da Lucid Energy, água e eletricidade são duas coisas extremamente relacionadas. O executivo comenta que é necessária uma grande quantidade de energia para entregar água potável e é necessária uma quantidade de água para gerar energia.

Desta forma, qualquer município que precisa de água e energia precisa buscar outra forma de gerar energia, com isso, a empresa surge como uma ótima opção, gerando eletricidade com água encanada.

Entenda como funciona a tecnologia

A tubulação instalada em Portland possui 4 turbinas de 107 cm de diâmetro, que ficam no meio dos tubos comuns de água. O projeto é o primeiro nos Estados Unidos a fechar um Acordo de Compra de Energia (PPA) por energia renovável produzida por energia hidrelétrica em uma tubulação de água municipal.

A eletricidade com água encanada, também chamada de Conduit 3 Hydroeletric Project, é financiada por uma agência privada e comprada pela empresa responsável pela distribuição de energia em Portland, a Portland General Electric.

O sistema possui 200 kW e é esperado que ele produza 1.100 MWh de energia elétrica anualmente, suficiente para abastecer cerca de 150 residências.

Entretanto, nem tudo são flores, já que a tecnologia não gera eletricidade em qualquer localização. O gerador só funciona se a água está sob um fluxo gerado pela força da gravidade. Vale mencionar que, para aproveitar o método, a empresa resolveu instalar sensores de pressão para descobrir se ocorreu algum vazamento no cano, além de sensores para monitorar a qualidade da água e julgar se ela está limpa o suficiente para ser consumida.

É possível gerar eletricidade utilizando água encanada no Brasil?

Sim! Conhecida como UGES, esta tecnologia inovadora transforma as caixas-d’água em pequenas usinas hidrelétricas. O acrônimo UGES vem de Unidade Geradora de Energia Sustentável, uma invenção dos engenheiros Mauro Serra e Jorgea Marangon. Esta solução é prática e adaptável a qualquer caixa-d’água, independentemente do tamanho.

“A UGES aproveita o fluxo de água que abastece os reservatórios para gerar energia. É importante salientar que o consumo diário de água per capita no Brasil é de cerca de 250 litros, uma quantidade que, até então, não era utilizada para produzir energia. Com esse sistema, conseguimos gerar eletricidade limpa e sem emissões de gases prejudiciais”, explicou Mauro Serra em uma entrevista concedida à Faperj.

A patente da ideia já foi registrada e em breve estará disponível no mercado. O sistema UGES não só fica instalado dentro do reservatório de água, mas também inclui uma unidade móvel que converte a energia captada em eletricidade para uso doméstico, operando independentemente de fontes externas de energia.

Gerar eletricidade com água encanada agora é possível! Essa tecnologia inovadora existe e já está disponível no Brasil.
Foto: Faperj

Mauro Serra detalha que, ao entrar no reservatório, a água é pressurizada pelo sistema, passando por uma mini usina que está estrategicamente posicionada na saída de água. Essa pressão é então convertida em eletricidade, suficiente para alimentar aparelhos como lâmpadas, geladeiras e computadores, mas não é recomendada para equipamentos de alto consumo energético como chuveiros ou secadores de cabelo.

Embora a quantidade de energia gerada varie conforme o tamanho da caixa e o consumo de água, em sistemas de abastecimento maiores, como o municipal, poderia ser dimensionada para suprir a iluminação pública, ou mesmo locais com alto consumo de água, como restaurantes ou indústrias. O sistema também permite o armazenamento de energia excedente para uso posterior, oferecendo uma independência parcial da rede elétrica.

Inscreva-se
Notificar de
guest
20 Comentários
Mais antigos
Mais recente Mais votado
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
20
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x